Sanções dos EUA contra empresas do Nord Stream 2 são inaceitáveis, diz Bundestag

© Sputnik / Sergei Guneev / Abrir o banco de imagensConstrução do projeto de gás Nord Stream 2
Construção do projeto de gás Nord Stream 2 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Sanções dos EUA contra empresas do gasoduto Nord Stream 2 não terão efeito esperado e são inaceitáveis, declarou à Sputnik o chefe do Comitê de Energia do Bundestag (parlamento alemão), Klaus Ernst.

As sanções dos Estados Unidos contra empresas do gasoduto Nord Stream 2 (Corrente do Norte 2) não terão efeito esperado e são inaceitáveis, declarou à Sputnik Klaus Ernst, o chefe do Comitê de Energia do Bundestag.

"Eu acredito que as futuras sanções dos EUA contra as empresas que participam da construção do Nord Stream 2 também não terão efeito esperado. Apesar disso, são inaceitáveis! É insuportável como os EUA querem defender interesses econômicos de sua indústria de gás e assim transformar os chamados aliados nos executores das ordens", afirmou Klaus Ernst.

O chefe do Comitê de Energia do Bundestag considera ser necessário chamar ao Ministério das Relações Exteriores da Alemanha o advogado dos assuntos da embaixada dos Estados Unidos, bem como esclarecimento do posicionamento do governo federal alemão.

Ernst acrescentou que apoia a "prontidão da União Europeia de fazer ofertas concretas de como é possível aumentar o papel internacional do euro e expandir a regulamento bloqueador de sanções", e também a imposição de novas "taxas sobre a importação do gás dos EUA" devido às ações de Washington.

Além do mais, o chefe do Comitê de Energia do Bundestag teme que o presidente eleito Joe Biden não venha a mudar a política econômica agressiva de Donald Trump, inclusive em relação ao Nord Stream 2.

"Temo que o novo presidente [dos EUA] não mudará a política econômica agressiva de seu país", disse Ernst.

O gasoduto Nord Stream 2, formado por uma aliança de empresas da Rússia, Alemanha, Áustria, França e Países Baixos, conectará os dois primeiros países pelo fundo do mar Báltico.

Os Estados Unidos são contra a construção do gasoduto e oferecem para a Europa seu gás natural liquefeito. A construção foi suspensa em dezembro de 2019 depois que Washington ameaçou com sanções a empresa suíça Allseas, que realizava as obras.

No início do mês passado, a Câmara dos Representantes e o Senado dos EUA decidiram impor sanções contra o gasoduto no orçamento da Defesa a partir do ano fiscal de 2021.

Em janeiro, os EUA expandiram as sanções contra o Nord Stream 2, espalhando-as pelos serviços de testes, inspeção e certificação, como também pelos serviços ou capacidades para modernização de navios de apoio offshore especializados na colocação de tubos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала