- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Com chuva e umidade aparecem 'complicações respiratórias', diz Pazuello sobre a COVID-19 em Manaus

© Folhapress / Cláudio Reis/FramePhotoEduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, faz pronunciamento à imprensa.
Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, faz pronunciamento à imprensa. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Participando da transmissão ao vivo feita pelo presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais nesta quinta-feira (14), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, pôs no clima parte da culpa pelo caos em decorrência da COVID-19 em Manaus.

Segundo Pazuello, três fatores combinados causaram o colapso no sistema hospitalar da capital do Amazonas nesta semana. O primeiro é a falta de tratamento precoce. Sobre este assunto, Bolsonaro afirmou que a administração de medicamentos como a cloroquina e a ivermectina são muito importantes no tratamento da COVID-19. Não há comprovação científica sobre a eficácia destes remédios.

O segundo fator, segundo Pazuello, é a já prejudicada infraestrutura hospitalar da cidade. O terceiro é o início do período chuvoso no Norte em parte do Nordeste do Brasil.

"No período chuvoso a umidade fica muito alta, e você começa a ter complicações respiratórias", disse o ministro, na transmissão ao vivo feita por Bolsonaro.

Nesta quinta-feira (13), profissionais de saúde e cidadãos amazonenses denunciaram nas redes sociais a precariedade nos hospitais da cidade de Manaus, pedindo ajuda para adquirir cilindros de oxigênio, insumo esgotado na rede hospitalar manauara. O oxigênio é fundamental no tratamento de pacientes com COVID-19 – e afeta também pacientes de diversas outras doenças.

'Quem dá lucro permanece, quem não dá lucro fecha', diz Bolsonaro sobre a Ford

Entre outros assuntos abordados na transmissão, o presidente Jair Bolsonaro comentou o fechamento da fábrica da Ford no Brasil. O presidente disse que lamenta profundamente a saída da empresa, mas que o ocorrido é consequência de uma economia livre.

"Num país democrático, onde se respeita a liberdade de mercado, quem dá lucro permanece, quem não dá lucro fecha", afirmou Bolsonaro.

Com o fim das atividades da empresa, a Ford espera demitir 830 funcionários brasileiros.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала