Guerreiros do Ártico: o que acontece com o Exército da Rússia a 50 °C negativos?

© Foto / Ministério da Defesa da RússiaSoldado russo na ilha de Kotelny no Ártico russo
Soldado russo na ilha de Kotelny no Ártico russo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Praticamente todo o arsenal dos militares russos – armas e equipamentos – é desenvolvido para ser usado a temperaturas que oscilam entre -50 e + 50 graus Celsius.

Se com o calor tudo é mais ou menos compreensível, durante frio extremo as táticas e estratégias das operações de combate são radicalmente alteradas.

De acordo com a ciência militar, inverno e verão são consideradas as estações mais favoráveis para o combate, sendo que o solo fica congelado ou seco, tendo em conta o clima na Rússia.

Na primavera e outono o avanço dos comboios militares é muito dificultado pelas condições enlameadas do solo. No entanto, no inverno é extremamente difícil executar grandes operações ofensivas.

Em primeiro lugar, os dias são muito curtos, o que reduz significativamente o tempo de que um comandante dispõe para realizar ações decisivas.

© Sputnik / Pavel Lvov / Abrir o banco de imagensSoldados russos durante sessões de treinamento da Frota do Norte, da Marinha Rússia, em operações de combate no Ártico
Guerreiros do Ártico: o que acontece com o Exército da Rússia a 50 °C negativos? - Sputnik Brasil
Soldados russos durante sessões de treinamento da Frota do Norte, da Marinha Rússia, em operações de combate no Ártico

Em segundo lugar, as forças em ofensiva estão restringidas a estradas, por isso têm uma formação estreita, o que significa que são vulneráveis a ataques de flanco.

O terceiro ponto importante é que, tendo em conta o clima rigoroso da Rússia, uma nevasca repentina pode obrigar a grandes ajustes nos planos, uma vez que a neve esconde bem os pontos de referência predeterminados no terreno.

Em quarto lugar, o "verde" das árvores já não disfarça, assim torna-se muito mais difícil para as tropas que avançam se moverem dissimuladamente pela floresta, mesmo uma pequena subunidade é facilmente detectada do ar entre as árvores nuas.

© Sputnik / Ministério da Defesa da RússiaA base militar "Trifólio Ártico" foi construída nas ilhas Alexandre (um conjunto de pequenas ilhas desabitadas da Terra de Francisco José, no Ártico Russo)
Guerreiros do Ártico: o que acontece com o Exército da Rússia a 50 °C negativos? - Sputnik Brasil
A base militar "Trifólio Ártico" foi construída nas ilhas Alexandre (um conjunto de pequenas ilhas desabitadas da Terra de Francisco José, no Ártico Russo)

Por fim, em quinto lugar, durante a estação fria as operações de combate exigem capacidade máxima das unidades de apoio logístico, que precisam fornecer roupas e calçado aos agrupamentos militares, entregar a tempo às unidades blindadas combustível, óleos e lubrificantes e assegurar a entrega atempada de munições para as posições de fogo.

Em termos de tática, no inverno é muito mais fácil defender do que atacar. Uma unidade militar entrincheirada de forma correta é uma força formidável. O inimigo tem que atacar este "baluarte" de frente, sob fogo de metralhadoras e artilharia, avançando com dificuldade, ficando atolado na neve e detonando campos minados.

O Exército da Rússia está preparado para combater tanto no calor como no frio. A formação mais "resistente ao frio" é considerada a Frota do Norte. Além disso, as brigadas estão sendo reforçadas com novos equipamentos militares, incluindo tanques T-80BVM e sistemas de mísseis antiaéreos Shtil-1 e Tor-M2DT, desenvolvidos para o Ártico.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала