Trump aceita derrota e condena invasão do Capitólio: 'Profanaram a democracia' (VÍDEO)

© REUTERS / Tom BrennerDonald Trump, presidente dos EUA, acena ao embarcar em avião em Maryland, EUA, 23 de dezembro de 2020
Donald Trump, presidente dos EUA, acena ao embarcar em avião em Maryland, EUA, 23 de dezembro de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Nesta quinta-feira (7), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu sua primeira declaração oficial após a invasão do Capitólio nos EUA perpetrada por seus apoiadores na quarta-feira (6).

Em um discurso em vídeo publicado nas redes sociais nesta quinta-feira (7), o presidente norte-americano condenou as ações violentas que ocorreram no Capitólio dos EUA no dia anterior e reconheceu que uma "nova administração seria inaugurada" no dia 20 de janeiro.

"Como todos os norte-americanos, estou indignado com a violência, a ilegalidade e o caos", disse Trump no vídeo. "Os manifestantes que se infiltraram no Capitólio profanaram a sede da democracia norte-americana", acrescentou.

O presidente dos EUA também afirmou que os manifestantes que infringiram a lei durante o incidente pagarão o preço legal por isso.

"Agora, o Congresso certificou os resultados [das eleições presidenciais]. Um novo governo será inaugurado em 20 de janeiro. Meu foco agora se volta para garantir uma transição de poder suave, ordeira e contínua", disse Trump. "Este momento exige cura e reconciliação", afirmou.

Relembrando as várias contestações legais apresentadas em diversos estados dos EUA em uma tentativa de contestar os resultados da eleição, Trump observou que seu "único objetivo era garantir a integridade do voto". O presidente norte-americano enfatizou que sua intenção era "defender a democracia norte-americana".

"Devemos revitalizar os laços sagrados de amor e lealdade que nos unem como uma família nacional", disse ele, antes de acrescentar a quem classificou como "maravilhosos apoiadores" que sua "incrível jornada está apenas começando".

Em discurso inflamado em frente à Casa Branca, na quarta-feira (6), Trump encorajou seus apoiadores a irem ao Capitólio, onde senadores se reuniam para certificar os resultados do Colégio Eleitoral, que deram a vitória ao presidente eleito dos EUA, Joe Biden. O presidente Trump chegou a ter seu acesso ao Twitter bloqueado devido às postagens em que reiterou o discurso de fraude eleitoral. O mesmo ocorreu no Facebook e no Instagram, onde suas contas estão bloqueadas.

© AP Photo / Manuel Balce CenetaApoiadores do presidente Donald Trump enfrentam agentes da Polícia do Capitólio dos EUA fora da Câmara do Senado dentro do Capitólio, em Washington, EUA, 6 de janeiro de 2021
Trump aceita derrota e condena invasão do Capitólio: 'Profanaram a democracia' (VÍDEO) - Sputnik Brasil
Apoiadores do presidente Donald Trump enfrentam agentes da Polícia do Capitólio dos EUA fora da Câmara do Senado dentro do Capitólio, em Washington, EUA, 6 de janeiro de 2021

Os comentários do presidente nesta quinta-feira (7) foram feitos menos de duas horas depois que a secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, realizou uma coletiva de imprensa na qual expressou a primeira condenação oficial da Casa Branca aos distúrbios violentos. Ambos os comentários, da secretária de imprensa e de Trump, vêm à tona em meio a um crescente movimento de legisladores do Congresso norte-americano em apoio à remoção de Trump do cargo por meio da 25ª Emenda ou de um impeachment.

Mais cedo, o procurador-geral do Distrito de Columbia, Michael Sherwin, também afirmou que o Departamento de Justiça está "olhando para todos os atores" envolvidos nos distúrbios no Capitólio, incluindo o próprio Trump.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала