- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Debate sobre data de vacinação no Brasil está 'precipitado' e 'polarizado', diz Mourão

© Foto / José Cruz/Agência BrasilO vice-presidente da República, General Hamilton Mourão durante sessão solene de abertura do Ano Judiciário de 2019 realizada no STF.
O vice-presidente da República, General Hamilton Mourão durante sessão solene de abertura do Ano Judiciário de 2019 realizada no STF. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Vice-presidente acredita que o Ministério da Saúde não tem condições de apresentar nos próximos dias as datas para a vacinação nacional contra a COVID-19.

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta segunda-feira (14) que o debate em torno do início da vacinação nacional contra a COVID-19 está "precipitado" e "polarizado".

A declaração foi feita a jornalistas, no Palácio do Planalto, em Brasília. Quando perguntado se o Ministério da Saúde tem condições de apresentar o plano de vacinação nos próximos dias, conforme estabelecido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Mourão disse que acha que não.

"Acho que não [é possível apresentar]. A data é o dia D. Vamos fazer um exercício mental. Eu tenho que colocar a vacina em todo o território nacional. Não é só a vacina. Eu tenho que colocar seringa. Eu tenho que ter pessoal especializado distribuído, bonitinho, em todo o território. Quando você tiver com condições com tudo isso, está bom, o dia D vai ser dia 10 de março, vamos dizer assim. Acho que está precipitado. Mais uma vez está muito polarizado isso aí", declarou o vice-presidente, segundo o jornal O Globo.

Na último sábado (12), o governo federal entregou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o plano nacional de vacinação. O documento lista 13 vacinas candidatas e prevê a compra de 108,3 milhões de doses de vacina para imunizar mais de 51 milhões de pessoas. No entanto, não estabelece datas de início e fim da imunização nacional.

Diante da indefinição, o ministro do STF Ricardo Lewandowski determinou, neste domingo (13), que o Ministério da Saúde tem até 48 horas para apresentar as datas de início e término da vacinação nacional contra a COVID-19.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, já mencionou três datas diferentes para o início da vacinação. O primeiro esboço do plano nacional de vacinação previa o início em março. Em reunião com governadores no dia 8 de dezembro, Pazuello disse que a vacinação contra a COVID-19 começaria em fevereiro. Um dia depois, o ministro afirmou que a vacinação no Brasil poderia começar em dezembro ou janeiro.

© Folhapress / Edu AndradeEm Brasília, o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (à esquerda), e o agora ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello (à direita), participam de cerimônia no salão nobre do Palácio do Planalto, em 14 de outubro de 2020
Debate sobre data de vacinação no Brasil está 'precipitado' e 'polarizado', diz Mourão - Sputnik Brasil
Em Brasília, o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (à esquerda), e o agora ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello (à direita), participam de cerimônia no salão nobre do Palácio do Planalto, em 14 de outubro de 2020
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала