Cientistas reconhecem que escudos faciais não protegem contra coronavírus

© AP Photo / Ariana CubillosUma mulher usando máscara e escudo facial (foto de arquivo)
Uma mulher usando máscara e escudo facial (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Cientistas japoneses da Universidade da Fukuoka revelaram que os frequentemente usados escudos faciais não protegem da transmissão de COVID-19 por via aérea. Os resultados do estudo foram publicados na revista Physics of Fluids.

Os especialistas analisaram o movimento dos fluxos de ar em torno do escudo facial que surgem após o espirro de uma pessoa infectada sem máscara na proximidade.

Revelou-se que o espirro e a tosse criam círculos de ar com partículas em redemoinho, os quais gradualmente se tornam instáveis, deformando-se nas três dimensões. Entretanto, atingindo as bordas superior e inferior do protetor eles penetram sob o escudo facial.

Se o período de inspiração da pessoa que estiver em frente à que espirrou coincidir com a penetração do círculo do redemoinho sob a proteção, ela vai inspirar inevitavelmente as partículas infectadas, ressaltam os cientistas.

Agora os especialistas estão desenvolvendo meios de proteção individual aprimorados, para tentar reduzir o risco de inspiração das partículas dos fluxos de ar que penetram sob o escudo facial.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала