Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Missões espaciais novas e galáxias recém-descobertas nas belas imagens de novembro

Nos siga no
Seleção de fotos mostra novas expedições espaciais, a beleza do Universo vista a partir de telescópios, assim como fenômenos no planeta Terra observados a partir da Estação Espacial Internacional.

Em 16 de novembro, o foguete SpaceX Crew Dragon atingiu a Estação Espacial Internacional para acoplamento, levando uma equipe internacional de astronautas.

Em 24 de novembro, a China lançou sua primeira missão espacial para explorar a Lua, com o foguete Long March-5 carregando a espaçonave não tripulada River Chang'e-5.

O telescópio Hubble, da NASA e da Agência Espacial Europeia, tirou fotos das galáxias UGC 12588 e LRG-3-817.

© Foto / Conta no Instagram de Sergei Kud-SverchkovCosmonauta da Roscosmos Sergei Kud-Sverchkov durante seu passeio no espaço.
Cosmonauta da Roscosmos Sergei Kud-Sverchkov durante seu passeio no espaço - Sputnik Brasil
1/14
Cosmonauta da Roscosmos Sergei Kud-Sverchkov durante seu passeio no espaço.
© Foto / NASA / CXC / UNAM / J. Toala et al. / STScI.Esta imagem composta da nebulosa planetária IC 4593 contém raios X (Chandra) de gás que foi aquecido até mais de um milhão de graus. Essas temperaturas altas foram provavelmente geradas por material expelido do núcleo encolhido da estrela e colidiu com gás que foi previamente emitido pela estrela. Dados de luz visível do telescópio espacial Hubble na imagem mostram combinações de nitrogênio, oxigênio e hidrogênio.
Esta imagem composta da nebulosa planetária IC 4593 contém raios X (Chandra) de gás que foi aquecido até mais de um milhão de graus. Essas temperaturas altas foram provavelmente geradas por material expelido do núcleo encolhido da estrela e colidiu com gás que foi previamente emitido pela estrela. Dados de luz visível do telescópio espacial Hubble na imagem mostram combinações de nitrogênio, oxigênio e hidrogênio - Sputnik Brasil
2/14
Esta imagem composta da nebulosa planetária IC 4593 contém raios X (Chandra) de gás que foi aquecido até mais de um milhão de graus. Essas temperaturas altas foram provavelmente geradas por material expelido do núcleo encolhido da estrela e colidiu com gás que foi previamente emitido pela estrela. Dados de luz visível do telescópio espacial Hubble na imagem mostram combinações de nitrogênio, oxigênio e hidrogênio.
© REUTERS / Tingshu WangFoguete Longa Marcha-5 Y5, carregando a sonda lunar Chang’e-5, decola do Centro de Lançamento Espacial de Wenchang, em Wenchang, província de Hainan, China, 24 de novembro de 2020.
Foguete Longa Marcha-5 Y5, carregando a sonda lunar Chang’e-5, decola do Centro de Lançamento Espacial de Wenchang, em Wenchang, província de Hainan, China, 24 de novembro de 2020 - Sputnik Brasil
3/14
Foguete Longa Marcha-5 Y5, carregando a sonda lunar Chang’e-5, decola do Centro de Lançamento Espacial de Wenchang, em Wenchang, província de Hainan, China, 24 de novembro de 2020.
© Foto / Conta no Instagram de Sergei Kud-SverchkovAs Bahamas, localizadas entre a ilha de Cuba e península da Flórida, frequentemente imaginadas como um tipo de paraíso, sendo difícil argumentar contra essa opinião, especialmente quando vistas de uma altura de 400 quilômetros. Amigos, estas cores são incríveis: aqui há todos os tons de azul! Até parece que estão provocando desde lá com suas praias infinitas e água turquesa. Bahamas são de verdade um paraíso com praias incríveis, clima quente e vegetação exuberante. O arquipélago é composto por 700 ilhas e mais de dois mil recifes de corais. Claro que elas não cabem em uma foto. No entanto, a maioria delas são desabitadas.
As Bahamas, localizadas entre a ilha de Cuba e península da Flórida, frequentemente imaginadas como um tipo de paraíso, sendo difícil argumentar contra essa opinião, especialmente quando vistas de uma altura de 400 quilômetros. Amigos, estas cores são incríveis: aqui há todos os tons de azul! Até parece que estão provocando desde lá com suas praias infinitas e água turquesa. Bahamas são de verdade um paraíso com praias incríveis, clima quente e vegetação exuberante. O arquipélago é composto por 700 ilhas e mais de dois mil recifes de corais. Claro que elas não cabem em uma foto. No entanto, a maioria delas são desabitadas - Sputnik Brasil
4/14
As Bahamas, localizadas entre a ilha de Cuba e península da Flórida, frequentemente imaginadas como um tipo de paraíso, sendo difícil argumentar contra essa opinião, especialmente quando vistas de uma altura de 400 quilômetros. Amigos, estas cores são incríveis: aqui há todos os tons de azul! Até parece que estão provocando desde lá com suas praias infinitas e água turquesa. Bahamas são de verdade um paraíso com praias incríveis, clima quente e vegetação exuberante. O arquipélago é composto por 700 ilhas e mais de dois mil recifes de corais. Claro que elas não cabem em uma foto. No entanto, a maioria delas são desabitadas.
© Foto / ESA / Hubble & NASA, R. TullyA galáxia espiral UGC 12588 na constelação de Andrómeda.
A galáxia espiral UGC 12588 na constelação de Andrómeda - Sputnik Brasil
5/14
A galáxia espiral UGC 12588 na constelação de Andrómeda.
© Foto / NASAEm 16 de novembro, o foguete SpaceX Crew Dragon chegou à Estação Espacial Internacional para acoplamento, carregando os astronautas da NASA Michael Hopkins, Victor Glover e Shannon Walker e o astronauta da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão Soichi Noguchi. Na imagem a nave espacial Crew Dragon está se aproximando da estação espacial, tendo acoplado à 01h01 no horário de Brasília.
Em 16 de novembro, o foguete SpaceX Crew Dragon chegou à Estação Espacial Internacional para acoplamento, carregando os astronautas da NASA Michael Hopkins, Victor Glover e Shannon Walker e o astronauta da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão Soichi Noguchi. Na imagem a nave espacial Crew Dragon está se aproximando da estação espacial, tendo acoplado à 01h01 no horário de Brasília - Sputnik Brasil
6/14
Em 16 de novembro, o foguete SpaceX Crew Dragon chegou à Estação Espacial Internacional para acoplamento, carregando os astronautas da NASA Michael Hopkins, Victor Glover e Shannon Walker e o astronauta da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão Soichi Noguchi. Na imagem a nave espacial Crew Dragon está se aproximando da estação espacial, tendo acoplado à 01h01 no horário de Brasília.
© Foto / Roscosmos / Sergei Kud-SverchkovVista incomum para um parque com nome incomum. Alguém o chama de Cabeça do Cavalo Morto, outros apenas de parque do Cavalo Morto, mas isso não torna o nome menos estranho. Este lugar no estado de Utah foi chamado de Grand Canyon local.
Vista incomum para um parque com nome incomum. Alguém o chama de Cabeça do Cavalo Morto, outros apenas de parque do Cavalo Morto, mas isso não torna o nome menos estranho. Este lugar no estado de Utah foi chamado de Grand Canyon local - Sputnik Brasil
7/14
Vista incomum para um parque com nome incomum. Alguém o chama de Cabeça do Cavalo Morto, outros apenas de parque do Cavalo Morto, mas isso não torna o nome menos estranho. Este lugar no estado de Utah foi chamado de Grand Canyon local.
© Foto / NASA Orbitando a mais de 320 quilômetros por cima da Terra, o planeta a que chamamos nossa casa, a tripulação da Estação Espacial Internacional tirou esta imagem da borda da Terra, ou horizonte, com luz do Sol brilhando acima do oceano Pacífico e baía de San Francisco em 1º de novembro de 2020.
Orbitando a mais de 320 quilômetros por cima da Terra, o planeta a que chamamos nossa casa, a tripulação da Estação Espacial Internacional tirou esta imagem da borda da Terra, ou horizonte, com luz do Sol brilhando acima do oceano Pacífico e baía de San Francisco em 1º de novembro de 2020 - Sputnik Brasil
8/14
Orbitando a mais de 320 quilômetros por cima da Terra, o planeta a que chamamos nossa casa, a tripulação da Estação Espacial Internacional tirou esta imagem da borda da Terra, ou horizonte, com luz do Sol brilhando acima do oceano Pacífico e baía de San Francisco em 1º de novembro de 2020.
© Foto / ESA / Hubble & NASA, S. Allam et al.Esta imagem do telescópio espacial Hubble, da NASA e Agência Espacial Europeia, mostra a galáxia LRG-3-817, também conhecida como SDSS J090122.37+181432.3. A galáxia, cuja imagem é distorcida por efeitos da lente gravitacional, aparece como um arco longo à esquerda do grupo central de galáxias. Uma consequência importante da lente gravitacional é ampliação, permitindo-nos observar objetos que de outra forma estariam demasiado longe ou seriam demasiado fracos para ser vistos. Hubble usa este efeito de ampliação para estudar objetos para lá dos que normalmente são detectáveis com a sensibilidade de seu espelho principal de 2,4 metros de diâmetro, mostrando-nos as galáxias mais distantes que a humanidade jamais encontrou. Esta galáxia de lente gravitacional foi encontrada como parte da Pesquisa de Arcos Brilhantes de Sloan, que descobriu algumas de galáxias de lentes gravitacionais mais brilhantes com alto desvio para o vermelho no céu noturno.
Esta imagem do telescópio espacial Hubble, da NASA e Agência Espacial Europeia, mostra a galáxia LRG-3-817, também conhecida como SDSS J090122.37+181432.3. A galáxia, cuja imagem é distorcida por efeitos da lente gravitacional, aparece como um arco longo à esquerda do grupo central de galáxias. Uma consequência importante da lente gravitacional é ampliação, permitindo-nos observar objetos que de outra forma estariam demasiado longe ou seriam demasiado fracos para ser vistos. Hubble usa este efeito de ampliação para estudar objetos para lá dos que normalmente são detectáveis com a sensibilidade de seu espelho principal de 2,4 metros de diâmetro, mostrando-nos as galáxias mais distantes que a humanidade jamais encontrou. Esta galáxia de lente gravitacional foi encontrada como parte da Pesquisa de Arcos Brilhantes de Sloan, que descobriu algumas de galáxias de lentes gravitacionais mais brilhantes com alto desvio para o vermelho no céu noturno - Sputnik Brasil
9/14
Esta imagem do telescópio espacial Hubble, da NASA e Agência Espacial Europeia, mostra a galáxia LRG-3-817, também conhecida como SDSS J090122.37+181432.3. A galáxia, cuja imagem é distorcida por efeitos da lente gravitacional, aparece como um arco longo à esquerda do grupo central de galáxias. Uma consequência importante da lente gravitacional é ampliação, permitindo-nos observar objetos que de outra forma estariam demasiado longe ou seriam demasiado fracos para ser vistos. Hubble usa este efeito de ampliação para estudar objetos para lá dos que normalmente são detectáveis com a sensibilidade de seu espelho principal de 2,4 metros de diâmetro, mostrando-nos as galáxias mais distantes que a humanidade jamais encontrou. Esta galáxia de lente gravitacional foi encontrada como parte da Pesquisa de Arcos Brilhantes de Sloan, que descobriu algumas de galáxias de lentes gravitacionais mais brilhantes com alto desvio para o vermelho no céu noturno.
© Foto / Roscosmos / Sergei Kud-SverchkovOutro objeto geográfico misterioso claramente visível da Estação Espacial Internacional – a Estrutura de Richat. Domo de Richat é uma estrutura concêntrica de 50 quilômetros de diâmetro localizada na Mauritânia. A pesquisa realizada mostra que a estrutura foi formada devido à erosão das formações emergentes em forma de cúpula.
Outro objeto geográfico misterioso claramente visível da Estação Espacial Internacional – a Estrutura de Richat. Domo de Richat é uma estrutura concêntrica de 50 quilômetros de diâmetro localizada na Mauritânia. A pesquisa realizada mostra que a estrutura foi formada devido à erosão das formações emergentes em forma de cúpula - Sputnik Brasil
10/14
Outro objeto geográfico misterioso claramente visível da Estação Espacial Internacional – a Estrutura de Richat. Domo de Richat é uma estrutura concêntrica de 50 quilômetros de diâmetro localizada na Mauritânia. A pesquisa realizada mostra que a estrutura foi formada devido à erosão das formações emergentes em forma de cúpula.
© Foto / ESA / Hubble & NASA, R. Tully; Acknowledgment: GagandeA galáxia UGCA 193 vista aqui pelo telescópio da NASA e Agência Espacial Europeia Hubble é uma galáxia na constelação de Sextans. UGCA 193 parece ter muitas estrelas novas, especialmente na parte inferior desta vista, criando uma impressionante neblina azul e a sensação de que as estrelas caem desde "cima". A cor azul de UGCA 193 indica que as estrelas são quentes, algumas delas são seis vezes mais quentes que nosso Sol. Sabemos que as estrelas mais frias parecem a nossos olhos mais vermelhas, as estrelas mais quentes parecem mais azuis. Além disso, temperatura e a cor da superfície de estrela são ligadas a sua massa, as estrelas mais pesadas ardem em temperaturas mais altas, resultando no brilho azul de sua superfície.
A galáxia UGCA 193 vista aqui pelo telescópio da NASA e Agência Espacial Europeia Hubble é uma galáxia na constelação de Sextans. UGCA 193 parece ter muitas estrelas novas, especialmente na parte inferior desta vista, criando uma impressionante neblina azul e a sensação de que as estrelas caem desde cima. A cor azul de UGCA 193 indica que as estrelas são quentes, algumas delas são seis vezes mais quentes que nosso Sol. Sabemos que as estrelas mais frias parecem a nossos olhos mais vermelhas, as estrelas mais quentes parecem mais azuis. Além disso, temperatura e a cor da superfície de estrela são ligadas a sua massa, as estrelas mais pesadas ardem em temperaturas mais altas, resultando no brilho azul de sua superfície - Sputnik Brasil
11/14
A galáxia UGCA 193 vista aqui pelo telescópio da NASA e Agência Espacial Europeia Hubble é uma galáxia na constelação de Sextans. UGCA 193 parece ter muitas estrelas novas, especialmente na parte inferior desta vista, criando uma impressionante neblina azul e a sensação de que as estrelas caem desde "cima". A cor azul de UGCA 193 indica que as estrelas são quentes, algumas delas são seis vezes mais quentes que nosso Sol. Sabemos que as estrelas mais frias parecem a nossos olhos mais vermelhas, as estrelas mais quentes parecem mais azuis. Além disso, temperatura e a cor da superfície de estrela são ligadas a sua massa, as estrelas mais pesadas ardem em temperaturas mais altas, resultando no brilho azul de sua superfície.
© Foto / Conta no Instagram de Sergei Kud-SverchkovVista de Moscou desde a Estação Espacial Internacional.
Vista de Moscou desde a Estação Espacial Internacional - Sputnik Brasil
12/14
Vista de Moscou desde a Estação Espacial Internacional.
© Foto / Conta no Instagram de Sergei Kud-SverchkovFoto da Lua desde a Estação Espacial Internacional.
Foto da Lua desde a Estação Espacial Internacional - Sputnik Brasil
13/14
Foto da Lua desde a Estação Espacial Internacional.
© Foto / ESO / TIMER surveyOs milhares de estrelas recém-nascidas no centro da galáxia NGC 5236 foram capturados pelo instrumento Explorador Espectroscópico MultiUnidade, ligado ao Very Large Telescope no Observatório do Paranal no Chile. A galáxia recebeu o nome de Cata-Vento do Sul devido a sua linda configuração de braço espiral e sua localização em uma constelação do Hemisfério Sul – Hydra.
Os milhares de estrelas recém-nascidas no centro da galáxia NGC 5236 foram capturados pelo instrumento Explorador Espectroscópico MultiUnidade, ligado ao Very Large Telescope no Observatório do Paranal no Chile. A galáxia recebeu o nome de Cata-Vento do Sul devido a sua linda configuração de braço espiral e sua localização em uma constelação do Hemisfério Sul – Hydra - Sputnik Brasil
14/14
Os milhares de estrelas recém-nascidas no centro da galáxia NGC 5236 foram capturados pelo instrumento Explorador Espectroscópico MultiUnidade, ligado ao Very Large Telescope no Observatório do Paranal no Chile. A galáxia recebeu o nome de Cata-Vento do Sul devido a sua linda configuração de braço espiral e sua localização em uma constelação do Hemisfério Sul – Hydra.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала