Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Estudo revela altos níveis de arsênio em poços contaminados no México e alerta sobre riscos à saúde

© Foto / Pixabay / Angel ChavezRepresentação do trabalho mineiro algures no México
Representação do trabalho mineiro algures no México - Sputnik Brasil
Nos siga no
Um novo estudo revela que ainda persistem altos níveis de arsênio em poços de água para consumo humano localizados nas cidades próximas do rio Sonora, no norte do México.

Em 2014, a maior mineradora nacional, Buena Vista del Cobre, do Grupo México, localizada em Cananea, despejou 40 mil metros cúbicos de sulfato de cobre acidificado nos rios Bacanuchi e Sonora, no noroeste do país, afetando 22.878 residentes.

Um ano mais tarde, as autoridades mexicanas multaram o Grupo México em um montante próximo a US$ 1,4 milhão (aproximadamente R$ 7,5 milhões), representando apenas 0,09% dos lucros que o Grupo México obteve no mesmo ano em que o derramamento ocorreu.

A empresa ainda não cumpriu com os compromissos de reparação dos danos, enquanto o governo mexicano continua sem a punir pelo não cumprimento.

Uma questão de saúde pública

A Comissão Federal de Proteção contra Riscos Sanitários (Cofepris) reconheceu por meio de carta enviada aos Comitês da Bacia do Rio Sonora, e em parceria com a organização PODER, que após novas amostragens realizadas em 2020, a água para consumo humano nos sete municípios afetados continua extremamente contaminada com metais pesados, principalmente arsênio e chumbo.

De acordo com a amostragem do Cofepris, realizada em março, 98,28% dos 59 poços e residências estudados ultrapassam os limites de arsênio, enquanto 35,42% das residências analisadas superam os níveis de chumbo estabelecidos pelos padrões mexicanos.

Outra amostragem, realizada em julho, revela que dos 69 poços e residências cadastradas, 89,85% e 57,81%, respetivamente, superam as quantidades de arsênio e chumbo permitidas pela legislação.

Deste modo, a Cofepris infere que tamanhas quantidades de metais pesados na água para consumo podem causar problemas de saúde às populações residentes.

Vidas e danos sem reparo

Diante dos novos dados, os moradores da região exigem que as três esferas de governo tomem medidas para evitar o envenenamento contínuo de várias comunidades.

Ramón Miranda, membro dos Comitês da Bacia do Rio Sonora e residente da cidade de Aconchi, fala com revolta, questionando-se sobre "o que tem que acontecer para as autoridades fazerem alguma coisa? São os dados, de mais de um ano, de seis anos [...] e agora os novos dados que vêm nos dizer o que já sabemos: a água que bebemos está nos envenenando, e as autoridades não estão fazendo nada de concreto para evitá-lo".

Em dezembro de 2019, o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, prometeu tomar providências sobre o assunto, mas até o momento, o governo federal não tomou medidas concretas para remediar os altos níveis de poluentes lançados na água na região.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала