Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Argélia é 1º país do continente africano a comprar caças russos de 5ª geração Su-57

© Sputnik / Maksim BlinovCaça russo de 5ª geração Su-57
Caça russo de 5ª geração Su-57 - Sputnik Brasil
Nos siga no
Anunciado em dezembro de 2019, a Argélia assinou enfim o acordo de US$ 2 bilhões (R$ 10,76 bilhões) com a Rússia relativo à compra de 14 caças Su-57.

A Argélia assinou com a Rússia um contrato sobre a aquisição de 14 caças furtivos Su-57, se tornando assim o primeiro cliente do mundo desta joia da aviação de combate de quinta geração, informa a mídia Avi.pro.

"O ministro argelino da Defesa, no quadro das negociações com os militares russos, alcançou um acordo sobre a compra dos novíssimos aviões russos Su-57 no valor de aproximadamente US$ 2 bilhões [R$ 10,76 bilhões]", afirma a mídia, indicando que "o contrato correspondente já foi assinado pelas duas partes".

Primeiro país da África

Em entrevista à Sputnik França, Akram Kharief, especialista em questões de defesa e redator do portal Menadefense, afirmou que a aquisição dos Su-57 pela Argélia "é uma revolução no flanco oeste do Mediterrâneo".

© Sputnik / Ramil Sitdikov / Abrir o banco de imagensCaça russo de quinta generação Su-57
Argélia é 1º país do continente africano a comprar caças russos de 5ª geração Su-57 - Sputnik Brasil
Caça russo de quinta generação Su-57

"É a primeira vez que um caça furtivo de 5ª geração será introduzido na África", acrescentando que "também é inédito no Mediterrâneo, pois nesta bacia somente Israel e a Itália dispõem de caças furtivos, neste caso os F-35".

Ao comentar o interesse da Argélia por outro caça russo, o especialista indica que a "importância estratégica do Su-34 reside no fato de este avião ser um bombardeiro de longo alcance capaz de realizar operações a milhares de quilômetros, ampliando assim as possibilidades ofensivas da Força Aérea argelina".

"O Su-34 é também um avião capaz de se defender a si mesmo e não precisa ser acompanhado", precisou o especialista, salientando "que já deu provas na guerra na Síria".

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала