Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Violência aumenta no Brasil durante pandemia após 2 anos de queda no número de assassinatos

© Folhapress / José Lucena / Futura PressNo Rio de Janeiro, viaturas da divisão de homicídios são vistas no local do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, mortos a tiros na Rua Joaquim Palhares, em 14 de março de 2018.
No Rio de Janeiro, viaturas da divisão de homicídios são vistas no local do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, mortos a tiros na Rua Joaquim Palhares, em 14 de março de 2018. - Sputnik Brasil
Nos siga no
Alta de 4% dos crimes violentos foi registrada nos nove primeiros meses do ano e inclui período em que COVID-19 virou doença pandêmica. Número subiu mesmo com menos gente nas ruas.

O Brasil teve uma alta de 4% nos assassinatos nos primeiros nove meses de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado, informou o site G1 a partir do índice nacional de homicídios com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. 

O levantamento faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do site com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Comparando 2020 com 2019, foram registradas 32.298 mortes violentas contra 31.022 respectivamente. Isso significa 1.276 mortes a mais no mesmo período, os nove primeiros meses de cada ano.

O aumento de mortes acontece mesmo durante a pandemia do novo coronavírus, decretada em março, e que fez com que estados adotassem diversas medidas de isolamento social contra a COVID-19. A conclusão é que o número subiu mesmo com menos gente nas ruas.

A alta em 2020 interrompe uma sequência de queda recorde no país nos últimos dois anos para mortes por assassinatos. Em 2019, a queda chegou a 19% e o número total de vítimas foi o menor desde 2007, ano em que o Fórum Brasileiro de Segurança Pública passou a coletar os dados.

A única região onde o número subiu foi o Nordeste, 19%, exatamente a mesma região que puxou a descida dos últimos anos. Por estados, 16 tiveram alta. O Ceará teve aumento de 84%, o maior da federação, um número agravado pela greve das polícias no início do ano.

Para Samira Bueno, diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o fato de mais da metade das unidades federativas apresentarem crescimento dos homicídios nos nove primeiros meses do ano mostra que a violência não está restrita a um determinado território.

Ela ressalta também que 2019 foi o primeiro ano de gestão dos governadores eleitos em 2018 e eles herdaram um quadro relativamente confortável de redução dos homicídios, mas que não foram capazes de sustentar. E lembra da responsabilidade federal.

"Igualmente importante é entender qual a proposta do Ministério da Justiça para a área. Existe um plano nacional de segurança pública que foi aprovado em 2018 e nunca implementado. Ninguém sabe qual a estratégia do governo federal para reduzir homicídios e as poucas ações que são citadas dizem respeito à flexibilização de armas de fogo, o que deve na verdade impactar no aumento dos níveis de violência letal", encerrou.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала