- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta terça-feira, 17 de novembro

© REUTERS / Dado RuvicBandeira da União Europeia refletida em gota d'água, em foto ilustrativa tirada em 9 de novembro de 2020
Bandeira da União Europeia refletida em gota d'água, em foto ilustrativa tirada em 9 de novembro de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha os destaques desta terça-feira (17), marcada pelo pedido de investigação sobre os ataques cibernéticos contra a Justiça Eleitoral, pela revelação de que Trump cogitou atacar militarmente o Irã e pela realização da Cúpula de Chefes de Estado do BRICS.

Por 'motivação política', Barroso pede apuração de ataques contra TSE

Na segunda-feira (16), o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, pediu abertura de inquérito à Polícia Federal (PF) para investigar o ataque cibernético ao site e aplicativo da Justiça Eleitoral, realizado durante as eleições municipais de domingo (15). Segundo o ministro, "suspeita-se de uma motivação política na operação", que teria como objetivo "desacreditar o sistema" eleitoral brasileiro. "Há suspeita de articulação de grupos extremistas, que se empenham em desacreditar as instituições, clamam pela volta da ditadura", disse o ministro. O ataque denominado "negação de serviço com milhares de tentativas de acesso simultâneas" teria sido disparado a partir de países como Brasil, EUA e Nova Zelândia, revelou Barroso.

© REUTERS / Amanda PerobelliMulher vota em colégio eleitoral na cidade de São Bernardo do Campo, São Paulo, 15 de novembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta terça-feira, 17 de novembro  - Sputnik Brasil
Mulher vota em colégio eleitoral na cidade de São Bernardo do Campo, São Paulo, 15 de novembro de 2020

Lula terá acesso a correspondências entre Lava Jato e países estrangeiros

Na segunda-feira (16), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, autorizou a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a acessar dados e provas incluídos no acordo de leniência entre a empresa Odebrecht e a operação Lava-Jato de Curitiba (PR). Lula terá acesso a provas que façam referência ao seu nome, assim como a troca de correspondência entre a força-tarefa e países que participaram do acordo com a empreiteira, como EUA e Suíça. A defesa do ex-presidente alega que o acesso é imprescindível para apurar se o governo federal estava a par da alegada cooperação entre o Departamento Federal de Investigação (FBI) dos EUA e a Lava-Jato.

© REUTERS / Amanda PerobelliEx-presidente Luiz Inácio Lula da Silva coloca máscara protetora após votar, em São Bernardo do Campo, São Paulo, 15 de novembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta terça-feira, 17 de novembro  - Sputnik Brasil
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva coloca máscara protetora após votar, em São Bernardo do Campo, São Paulo, 15 de novembro de 2020

Em final de mandato, Trump cogitou atacar o Irã, diz jornal norte-americano

Na segunda-feira (16), o jornal norte-americano The New York Times reportou que o presidente dos EUA, Donald Trump, cogitou atacar instalações nucleares iranianas semanas antes de finalizar o seu mandato. Fonte ouvida pelo jornal declarou que Trump foi dissuadido por demais membros de seu gabinete. O provável vencedor das eleições norte-americanas, Joe Biden, lamentou que Trump ainda não tenha reconhecido derrota eleitoral, alegando que "muitas pessoas poderão morrer", uma vez que o atraso no processo de transição prejudica resposta à pandemia de COVID-19.

© REUTERS / Joshua RobertsPresidente dos EUA, Donald Trump, joga golfe em Sterling, Virginia, EUA, 15 de novembro de 2020  
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta terça-feira, 17 de novembro  - Sputnik Brasil
Presidente dos EUA, Donald Trump, joga golfe em Sterling, Virginia, EUA, 15 de novembro de 2020  

Polônia e Hungria vetam orçamento da UE e inauguram crise no bloco

Na segunda-feira (16), os governos da Polônia e da Hungria vetaram a aprovação do orçamento da União Europeia (EU) e do plano de recuperação econômica do bloco. Varsóvia e Budapeste legaram discordar de novos impostos que seriam criados para combater a pandemia. A inclusão no orçamento de cláusula democrática que condicionaria o recebimento de recursos à manutenção do estado de direito também causou controvérsia entre os membros. "Estamos esperando uma nova proposta coerente com os tratados da UE", afirmou o porta-voz do governo polonês, Piotr Muller, à rádio estatal nesta terça-feira (17).

© REUTERS / Bernadett SzaboPedestre caminha por rua do centro de Budapeste, após reimposição de lockdown na capital da Hungria, 11 de novembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta terça-feira, 17 de novembro  - Sputnik Brasil
Pedestre caminha por rua do centro de Budapeste, após reimposição de lockdown na capital da Hungria, 11 de novembro de 2020

Peru nomeia ex-Banco Mundial para presidência em meio à crise

Na segunda-feira (16), Congresso do Peru nomeou o parlamentar Francisco Sagasti como presidente interino, em meio à grave crise política que assola o país desde o impeachment do ex-presidente Martín Vizcarra. Filiado ao partido de centro Morado, o parlamentar de 76 anos serviu como representante do país no Banco Mundial. Sagasti é a terceira pessoa a assumir a presidência do país em menos de uma semana, após o primeiro presidente interino, Manuel Merino, renunciar ao cargo. No sábado (14), mais de 60 pessoas foram hospitalizadas e duas morreram após a polícia local reprimir protestos contra o impeachment de Vizcarra. "Não podemos trazê-los de volta à vida, mas podemos agir [...] para que isso nunca mais aconteça", declarou Sagasti.

Chefes de Estado dos BRICS se reúnem em cúpula virtual

Nesta terça-feira (17), os chefes de Estado do BRICS vão se reunir em cúpula anual, conduzida, neste ano, em formato digital. A reunião será presidida pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, e contará com a presença de seus homólogos brasileiro, Jair Bolsonaro, chinês, Xi Jinping, sul-africano, Cyril Ramaphosa, e do primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi. Os líderes devem debater temas como contraterrorismo e combate ao narcotráfico, além do plano de ação da parceria econômica entre os países até 2025. Fique ligado na cobertura da Sputnik Brasil para saber todos os detalhes do encontro.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала