Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Ata-me: aranhas machos amarram fêmeas durante acasalamento para evitar serem comidos

© AFP 2021 / JOE KLAMARTeia de aranha em uma varanda em Bratislava, Eslováquia, maio de 2011 (foto de arquivo)
Teia de aranha em uma varanda em Bratislava, Eslováquia, maio de 2011 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga no
Cientistas acreditam que os machos fazem isso com a fêmea como uma estratégia de sobrevivência para não serem devorados após a reprodução.

Pesquisadores descobriram que aranhas machos da espécie Thanatus fabricii atacam, mordem e amarram suas parceiras com seda antes do acasalamento para evitar serem comidos. A descoberta foi publicada na revista científica Animal Behaviour.

A equipe de cientistas da República Tcheca observou as aranhas, que são nativas de Israel, em um laboratório usando câmera de vídeo e notaram o comportamento incomum.

"Às vezes, as aranhas passam horas atraindo mulheres para cortejá-las, mas esses caras vão e mordem", comenta ao portal News Scientist Lenka Sentenska, autora principal do estudo.

Os cientistas julgam que uma das razões pelas quais os machos usam essa coerção é evitar serem canibalizados pelas fêmeas, um ritual que não é incomum durante o acasalamento de aranhas.

"A imobilização feminina, que é típica da cópula forçada, pode ser particularmente vantajosa se os machos correm o risco de serem atacados e canibalizados por suas parceiras durante o namoro", escreveram os autores no estudo.

Os pesquisadores tchecos descobriram que machos da espécie T. fabricii picam as fêmeas várias vezes durante a reprodução. Isso faz com que a aranha fique completamente imobilizada. Além disso, amarram as pernas da parceira com fios de teia para evitar que ela se liberte.

Estratégia não funciona sempre

A estratégia dos machos de T. fabricii não foi suficiente para mantê-los seguros em todos os casos, relata o estudo. Em 11% dos casos de acasalamento observados, as fêmeas realmente atacaram e consumiram o macho antes da cópula.

Além disso, os pesquisadores afirmam que, apesar da natureza aparentemente forte do comportamento de acasalamento, não está claro se as fêmeas estão realmente completamente imobilizadas pelos machos ou se essa inatividade é simplesmente um sinal de que as fêmeas estão receptivas à abordagem dos machos.

"As fêmeas que caem no estado de imobilidade permitirão que o macho acasale, enquanto as fêmeas não receptivas continuarão lutando e, portanto, rejeitarão o macho", escrevem os autores.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала