Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Biden reafirma que vai seguir a ciência: 'uma máscara não é uma declaração política'

© REUTERS / Kevin Lamarque Candidato à presidência dos EUA, Joe Biden, retira máscara para realizar discurso, em Wilmington, Delaware, Estados Unidos, 4 de novembro de 2020
Candidato à presidência dos EUA, Joe Biden, retira máscara para realizar discurso, em Wilmington, Delaware, Estados Unidos, 4 de novembro de 2020  - Sputnik Brasil
Nos siga no
Projetado como vencedor das eleições presidenciais dos Estados Unidos, Joe Biden pediu em discurso nesta segunda-feira (9) que todos os norte-americanos usem máscara.
"Podemos salvar dezenas de milhares de vidas se todos nós usarmos máscaras pelos próximos meses. Não vidas democratas, nem republicanas – mas vidas americanas. Eu imploro a vocês, usem máscara [...]. Uma máscara não é uma declaração política, mas uma boa maneira de começar a unir o país novamente", disse Biden, segundo publicou a AP.

No mesmo discurso, Biden afirmou que pretende estabelecer os Estados Unidos como líder mundial no combate à pandemia e reforçou seu compromisso com estudos científicos: "Vamos seguir a ciência. Vou falar de novo: vamos seguir a ciência".

© CDCIlustração do novo coronavírus, o SARS-CoV-2, criada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês)
Biden reafirma que vai seguir a ciência: 'uma máscara não é uma declaração política' - Sputnik Brasil
Ilustração do novo coronavírus, o SARS-CoV-2, criada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês)

Nesta segunda-feira (9), a Pfizer anunciou que a vacina desenvolvida em seus laboratórios tem 90% de eficácia. Apesar de reconhecer o importante passo apontado por estes estudos, Biden reafirmou que a máscara é mesmo "a medida mais efetiva que podemos tomar para frear a propagação de COVID-19".

Enquanto Biden prepara sua equipe de transição de governo, a pandemia continua em aceleração nos Estados Unidos. Nas duas últimas semanas, o número de casos de COVID-19 subiu 65%: a média móvel de novos casos considerando os últimos sete dias saltou de 66.294 (em 25 de outubro) para 108.736 (em 8 de novembro).

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала