Pequim promete sancionar entidades dos EUA que participarem da venda de armas a Taiwan

© AP Photo / Chiang Ying-yingEquipe da Forças Aérea de Taiwan instala míssil Tien Chien I no aeroporto de Taichung (foto de arquivo)
Equipe da Forças Aérea de Taiwan instala míssil Tien Chien I no aeroporto de Taichung (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Na semana passada, o Ministério das Relações Exteriores da China exortou os EUA a cancelarem acordo de venda de armas a Taiwan.

O porta-voz da chancelaria da China, Zhao Lijian, declarou nesta segunda-feira (26) que Pequim vai impor sanções às entidades norte-americanas que participarem da venda de armas a Taiwan.

Diplomata chinês acrescentou que as empresas Lockheed Martin, Boeing Defense e a Raytheon serão sancionadas.

As tensões entre Pequim e Washington reacenderam nos últimos meses também devido a Taiwan, após a administração Trump intensificar cooperação com as autoridades da ilha, considerada por China parte do território chinês.

© REUTERS / Ann WangDesfile no Dia Nacional da República da China
Pequim promete sancionar entidades dos EUA que participarem da venda de armas a Taiwan - Sputnik Brasil
Desfile no Dia Nacional da República da China

Em meados de outubro, a administração do presidente norte-americano, Donald Trump, notificou o Congresso sobre negociações para a venda de armamentos a Taiwan.

A venda envolve o Sistema de Foguetes de Artilharia de Alta Mobilidade (HIMARS) da companhia Lockheed Martin, o míssil de precisão SLAM-ER da Boeing e sensores externos para os caças F-16 de Taiwan.

Pequim exigiu em várias ocasiões que as entregas de armas a Taiwan fossem interrompidas, apontando violação do princípio Uma Só China e deterioração agravante das relações bilaterais com Washington.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала