Lavrov sugere posicionamento de observadores russos na linha de contato de Nagorno-Karabakh

© REUTERS / ArquivoPróximo da região de Nagorno-Karabakh, um soldado armênio caminha em uma trincheira, em 8 de abril de 2016.
Próximo da região de Nagorno-Karabakh, um soldado armênio caminha em uma trincheira, em 8 de abril de 2016. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Para o chanceler da Rússia, pacificadores devem ser posicionados na região conflituosa entre Armênia e Azerbaijão para manutenção do cessar-fogo em Nagorno-Karabakh.

Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, anunciou nesta quarta-feira (14) a importância de implantação de observadores militares russos na linha de controle de Nagorno-Karabakh, a fim de garantir o cessar-fogo.

Lavrov ponderou que a decisão final cabe a Erevan e Baku, acrescentando que, sem uma solução política entre os dois países, qualquer solução militar para o conflito não funcionará.

"Agora, nem mesmo pacificadores [devem participar da verificação], sendo observadores militares suficientes. Nós acreditamos que seria perfeitamente correto se estes fossem nossos observadores militares, mas a decisão final deve ser tomada pelas partes [do conflito]", afirmou o chanceler russo.
© Sputnik / Ministério das Relações Exteriores da Rússia / Abrir o banco de imagensNegociações em Moscou entre Rússia, Armênia e Azerbaijão sobre o conflito em Nagorno-Karabakh.
Lavrov sugere posicionamento de observadores russos na linha de contato de Nagorno-Karabakh - Sputnik Brasil
Negociações em Moscou entre Rússia, Armênia e Azerbaijão sobre o conflito em Nagorno-Karabakh.

Lavrov se mostrou seguro de que tanto Erevan como Baku vão levar em consideração "nossas relações amistosas, relações de parceria estratégica".

Além disso, o chanceler russo afirmou que Moscou não concorda com o posicionamento da Turquia em relação a Nagorno-Karabakh e que as ações turcas devem ser transparentes como foram na Síria.

"Bem, com relação a Nagorno-Karabakh. Sobre o papel da Turquia em Nagorno-Karabakh, nós não concordamos com o posicionamento expresso por Ancara, que, de fato, foi expresso em várias ocasiões pelo presidente [do Azerbaijão] Aliev, e que não há nenhum segredo aqui", comentou.

Segundo Lavrov, "nós não podemos compartilhar as alegações de que existe e pode haver uma solução militar para o conflito".

Vale ressaltar que o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliev, notou que pacificadores podem ser enviados para a área se tanto Baku como Erevan aceitarem esta decisão. Líder azeri afirmou também que de alguma forma a Turquia também tem de participar das negociações.

Em 9 de outubro, após dez horas de negociações em Moscou, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, anunciou que a Armênia e o Azerbaijão concordaram com um cessar-fogo em Nagorno-Karabakh a partir de 10 de outubro para trocar prisioneiros e corpos dos mortos.

O conflito, que se agravou em 27 de setembro, teve início em fevereiro de 1988, quando Nagorno-Karabakh declarou independência em relação à República Socialista Soviética do Azerbaijão, iniciando uma guerra que culminou com a perda de controle do território pelo Azerbaijão.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала