Astrônomos registram pela 1ª vez buraco negro supermassivo 'espaguetificar' estrela (VÍDEO)

© Foto / NASA / JPL-CaltechBuraco negro perturbando uma estrela passante
Buraco negro perturbando uma estrela passante - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em uma galáxia a 215 milhões de anos-luz de distância, feixes de luz irromperam no vazio do espaço: o "último grito" de luz de uma estrela moribunda ao se aproximar demais de um buraco negro supermassivo.

Com o auxílio dos telescópios do Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), astrônomos registraram com detalhes sem precedentes a explosão luminosa rara de uma estrela a ser desfeita por um buraco negro supermassivo. Esse fenômeno raríssimo é chamado de morte por espaguetificação, uma vez que a estrela está a ser sugada pelo buraco negro. A descrição desse processo foi publicada na revista científica Monthly Notices of the Royal Astronomical Society na segunda-feira (12).

A estrela tinha uma massa parecida com a do nosso Sol e passou muito perto do buraco negro supermassivo, com massa um milhão de vezes maior. A extrema atração gravitacional do buraco fragmentou a estrela em finos fios de material estelar, a morte por espaguetização.

"Quando um buraco negro devora uma estrela, ele pode lançar uma poderosa explosão de material que obstrui nossa visão […] Isso acontece porque a energia liberada conforme o buraco negro devora o material estelar impulsiona os detritos da estrela para fora", explica Samantha Oates, coautora do estudo, em comunicado reproduzido pelo portal EurekAlert!

O evento, chamado AT2019qiz, ocorreu a mais de 215 milhões de anos-luz da Terra e metade da estrela foi absorvida pela gravidade do buraco negro e a outra metade foi expelida para fora.

"A ideia de um buraco negro 'sugando' uma estrela próxima parece ficção científica. Mas isso é exatamente o que acontece em um evento de interrupção da maré", afirma Matt Nicholl, principal autor do novo estudo.

A equipe destaca o pioneirismo da pesquisa e defende que ter acompanhado esse evento em "tempo real" vai ajudar os astrônomos a entender melhor os buracos negros supermassivos e como a matéria se comporta em ambientes de extrema gravidade.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала