Madri tem estado de alarme de 15 dias declarado devido à pandemia de COVID-19

© Sputnik / Alejandro Martínez Vélez / Abrir o banco de imagensPolciais assegurando lockdown em Madri, Espanha (foto arquivo)
Polciais assegurando lockdown em Madri, Espanha (foto arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Até sete mil policiais espanhóis serão usados em operação especial de combate à COVID-19 na capital espanhola após o Conselho de Ministros extraordinário declarar estado de alarme em Madri.

Governo espanhol decidiu declarar estado de alarme nesta sexta-feira (9) em Madri, enquanto o governo do país tem entrado em desacordo com as autoridades da região de Madri sobre medidas de combate à pandemia de COVID-19.

A medida, que valerá por 15 dias, período máximo outorgado ao governo pela Constituição, também contará com a forte presença de policiais em uma das cidades mais afetadas pelo novo coronavírus na Europa.

Desta forma, o estado de alarme permitirá ao governo retomar medidas restritivas, que haviam sido derrubadas na quinta-feira (8) pelo Tribunal Superior de Justiça de Madri.

Entre tais restrições figuram o limite máximo de seis pessoas em reuniões e o encerramento do funcionamento de bares às 23h00, conforme publicou o jornal El País.

Contudo, a declaração do estado de alarme não tem agradado todos.

"Eu me sinto mal, porque eu não sei como agir, o que fazer, se eu estou fazendo coisas corretas ou erradas, e eu me sinto totalmente desorientado pelos nossos políticos que não estão fazendo o seu trabalho", disse à agência Reuters o aposentado e morador da cidade Jesus Doria.

Ainda segundo o El País, a presidente da região de Madri, Isabel Ayuso, havia sido notificada pelo presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, sobre a decisão de declarar o estado de alarme.

O mesmo também pediu a Ayuso que esta apoiasse a medida, o que foi rejeitado por ela. Além disso, o ministro da Saúde do país, Salvador Illa, criticou a política de Ayuso.

"A presidente de Madri decidiu não fazer nada. Podemos cruzar os braços ou podemos frear o vírus. A obrigação deste governo e qualquer com alma é frear o vírus ainda que suponha sacrifícios", afirmou Illa.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала