Lavrov e Cavusoglu criticam presença estrangeira em Nagorno-Karabakh

© REUTERS / Ministério da Defesa da ArmêniaSoldado de etnia armênia dispara uma peça de artilharia durante combate contra forças do Azerbaijão na região de Nagorno-Karabakh
Soldado de etnia armênia dispara uma peça de artilharia durante combate contra forças do Azerbaijão na região de Nagorno-Karabakh - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e o chanceler turco, Mevlut Cavusoglu, se reuniram nesta quinta feira (1º) para discutir a situação em Nagorno-Karabakh.

Após o encontro, Lavrov afirmou que militantes estrangeiros não deveriam se envolver neste conflito.

​​"Os ministros expressaram sérias preocupações com o contínuo confronto armado e afirmaram ser favoráveis a um cessar-fogo imediato. Eles também enfatizaram que militantes de outras regiões não devem estar envolvidos neste conflito", segundo afirmou a chancelaria russa em comunicado à imprensa.

Sergei Lavrov e Mevlut Cavusoglu também reiteraram o compromisso da Rússia e da Turquia com o objetivo de garantir a estabilização da situação na região de Karabakh.

O chanceler Sergei Lavrov já havia tentado mediar o conflito na quarta-feira (30). Ele realizou conversas telefônicas, em separado, com membros do governo do Azerbaijão e da Armênia, segundo informou a chancelaria russa. Na ocasião, Lavrov destacou que a Rússia seguirá, de forma individual e no âmbito da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), disponível para mediar o conflito e contribuir para uma solução diplomática e política do conflito em Nagorno-Karabakh.

"Foi confirmada a disponibilidade de Moscou como plataforma para organização de contatos, bem como para a realização de mais um encontro entro os chefes das diplomacias do Azerbaijão, da Armênia e da Rússia", acrescentou o comunicado do Ministério das Relações Exteriores russo.

Entenda o confronto

O conflito na região chegou ao seu quarto dia após a Armênia ter declarado no domingo (27) lei marcial e mobilização militar total em meio a uma troca de acusações com o Azerbaijão sobre bombardeios.

As forças azeris lançaram o que chamaram de contra-ataque, afirmando que as forças armênias as atacaram primeiro. Estas acusações foram negadas por Erevan, relembrando que Baku tinha disparado contra cidades e forças armênias.

No dia 29, o premiê armênio Nikol Pashinyan apelou para que não houvesse interferência de outros países no conflito para evitar que as tensões se espalhem. Apesar disso, a Turquia tem dado declarações de apoio ao lado azeri. Rússia e OTAN apelaram para o cessar das tensões.

Ainda no mesmo dia, as Forças Armadas do Azerbaijão continuaram uma ofensiva para libertação da cidade de Fizuli; foram relatados a destruição de quatro tanques armênios, segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Defesa do Azerbaijão.

© Sputnik / Aram Nersesyan / Abrir o banco de imagensQuintal de casa foi parcialmente destruído na cidade de Martuni após bombardeio em Nagorno-Karabakh.
Quintal de casa foi parcialmente destruído na cidade de Martuni após bombardeio em Nagorno-Karabakh - Sputnik Brasil
1/4
Quintal de casa foi parcialmente destruído na cidade de Martuni após bombardeio em Nagorno-Karabakh.
© Sputnik / Ministério da Defesa da Armênia / Abrir o banco de imagensVeículos atingidos durante conflito militar em Nagorno-Karabakh.
Veículos atingidos durante conflito militar em Nagorno-Karabakh - Sputnik Brasil
2/4
Veículos atingidos durante conflito militar em Nagorno-Karabakh.
© REUTERS / ArquivoPróximo da região de Nagorno-Karabakh, um soldado armênio caminha em uma trincheira, em 8 de abril de 2016.
Próximo da região de Nagorno-Karabakh, um soldado armênio caminha em uma trincheira, em 8 de abril de 2016. - Sputnik Brasil
3/4
Próximo da região de Nagorno-Karabakh, um soldado armênio caminha em uma trincheira, em 8 de abril de 2016.
© Sputnik / PAN Photo / Abrir o banco de imagensUm soldado armênio em Nagorno-Karabakh
Um soldado armênio em Nagorno-Karabakh - Sputnik Brasil
4/4
Um soldado armênio em Nagorno-Karabakh
1/4
Quintal de casa foi parcialmente destruído na cidade de Martuni após bombardeio em Nagorno-Karabakh.
2/4
Veículos atingidos durante conflito militar em Nagorno-Karabakh.
3/4
Próximo da região de Nagorno-Karabakh, um soldado armênio caminha em uma trincheira, em 8 de abril de 2016.
4/4
Um soldado armênio em Nagorno-Karabakh

Nesta quinta-feira (1º), o Ministério da Defesa da Armênia reportou que as Forças Armadas da não reconhecida república de Nagorno-Karabakh abateram três aviões e dois helicópteros azeris na região do conflito.

Diante da ofensiva, Putin, Trump e Macron condenaram veementemente a escalada do conflito em Nagorno-Karabakh. Eles também apelaram para um cessar-fogo imediato e a retomada das negociações, segundo informações do Kremlim.

A região de Nagorno-Karabakh, também conhecida como República de Artsakh, é uma região autônoma de maioria armênia que declarou independência da então República Socialista Soviética do Azerbaijão, em 1991.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала