- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Deputado pede que Felipe Neto e Boulos sejam investigados por apoio a ato antifascista

© Foto / Paulo Pinto / Fotos PúblicasManifestação contra o governo do presidente Jair Bolsonaro em São Paulo, 13 de agosto de 2019
Manifestação contra o governo do presidente Jair Bolsonaro em São Paulo, 13 de agosto de 2019 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Com base na lei de segurança nacional, deputado federal José Medeiros (Podemos-MT) pediu à PGR uma investigação contra o youtuber e empresário Felipe Neto por apoio a ato antifascista. 

Além do influenciador, o parlamentar pediu a abertura de inquérito para investigar a conduta de dois de seus colegas na Câmara dos Deputados, Sâmia Bomfim (PSOL-SP) e Glauber Braga (PSOL-RJ), assim como do candidato a prefeito de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL). 

A manifestação do movimento "Antifa" ocorreu no dia 31 de maio na Avenida Paulista, em São Paulo. O pedido, encaminhado ao procurador-geral da República, Augusto Aras, foi protocolado no dia 1º de junho, mas só foi revelado agora, segundo o portal Congresso em Foco. 

Segundo Medeiros, os presentes no ato "iniciaram confrontos com os manifestantes pró-governo, agrediram cidadãos, depredaram patrimônio público, entraram em confronto com policiais e os agrediram, protagonizando cenas de barbárie na capital paulista". 

'Alteração da ordem política e social'

O deputado diz ainda que as "cenas foram aterrorizantes e demonstram a vontade desse grupo em promover processos violentos para alteração da ordem política social, bem como a incitação à luta com violência entre as classes sociais, o que fere claramente a lei de segurança nacional em seu art. 23". 

Em seu pedido, o parlamentar afirma que o "movimento teve a participação" de Glauber Braga e Sâmia Bonfim, "que se juntaram aos manifestantes e incentivaram os atos violentos por eles praticados".

Em relação a Boulos e Neto, Medeiros argumenta que o "movimento foi comemorado e exaltado nas redes sociais" por eles, que teriam dessa maneira promovido a violência e cometido crime. O deputado acredita que as manifestações só pretendem instaurar o "caos social" e "tomar" o poder do presidente Jair Bolsonaro. 

Por meio do Twitter, a deputada Sâmia Bomfim reagiu à notícia, lembrando que José Medeiros teve o mandato de senador cassado em 2018 por fraude eleitoral pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso.

​Em abril, o político do Podemos pediu investigação parecida, com base na lei de segurança nacional, contra o próprio Boulos, o jornalista Ricardo Noblat e o deputado Túlio Gadelha (PDT-PE).

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала