Bielorrússia: protesto não autorizado reúne 3 mil pessoas em Minsk, 250 são detidas

© Sputnik / Aleksei MaishevPoliciais se preparam para atuar em protesto não autorizado em Minsk, Bielorrússia, 13 de setembro de 2020
Policiais se preparam para atuar em protesto não autorizado em Minsk, Bielorrússia, 13 de setembro de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Um ato não autorizado está decorrendo hoje (13) na capital da Bielorrússia. As forças policiais especiais já detiveram ao menos 250 pessoas em várias partes de Minsk.

Ao menos dez pessoas foram detidas na avenida da Liberdade em Minsk, segundo informou o correspondente da Sputnik. Os manifestantes passearam pela avenida com bandeiras branco-vermelhas, e em várias partes do percurso foram acompanhados por veículos militares.

Depois, militares, supostamente das forças especiais das tropas do Ministério do Interior, fizeram os manifestantes recuar, tendo as pessoas se espalhado pelos pátios dos edifícios próximos. A maioria dos manifestantes conseguiu fugir, mas várias dezenas de homens e mulheres foram detidos.

No cruzamento da rua Melnikaite e avenida dos Vencedores, os militares formaram um cordão que foi logo cercado pelos manifestantes. Os policiais pediram para que as pessoas dispersassem, mas sem sucesso. Uns minutos depois, dezenas de policiais da unidade especial móvel surgiram de um ônibus militar e começaram a deter os manifestantes.

© Sputnik / Aleksei MaishevPoliciais e manifestantes durante protestos em Minsk, Bielorrússia, 13 de setembro de 2020
Bielorrússia: protesto não autorizado reúne 3 mil pessoas em Minsk, 250 são detidas - Sputnik Brasil
Policiais e manifestantes durante protestos em Minsk, Bielorrússia, 13 de setembro de 2020

Segundo informou a porta-voz do Ministério do Interior da Bielorrússia, em vários distritos de Minsk foram detidas no total 250 pessoas. Cerca de 3.000 pessoas participam do protesto neste domingo (13).

O correspondente da Sputnik também informou que o ministério enviou forças para o distrito onde moram vários altos funcionários, para onde os manifestantes supostamente podem se dirigir.

Segundo os últimos dados, centenas de manifestantes se aproximaram da residência do presidente do país gritando slogans antigovernamentais e pedindo para que Lukashenko saia do poder.

Os protestos na Bielorrússia continuam há um mês, desde 9 de agosto, quando foram anunciados os resultados oficiais das eleições presidenciais. No pleito, o atual presidente, Aleksandr Lukashenko, venceu com 80% dos votos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала