- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Comércio no Brasil desacelera, mas cresce pelo 3º mês seguido, diz Serasa

© Folhapress / Eduardo Valente / FramePhotoComércio de rua reaberto atrai clientes em Florianópolis (SC) em meio à COVID-19
Comércio de rua reaberto atrai clientes em Florianópolis (SC) em meio à COVID-19 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Neste sábado (29), a divulgação do indicador de comércio do Serasa Experian apontou o crescimento do setor do comércio no Brasil em 5,2%.

Os números do indicador, conforme publicado pelo G1, são referentes a junho, e apontam também uma desaceleração em relação ao mês anterior, maio, quando houve crescimento de 10,3% no setor.

Segundo o Serasa, o segmento de "Tecidos, Vestuários, Calçados e Acessórios" foi o que mais cresceu em junho, com expansão de 16%, seguido pelo de "Supermercados, Hipermercados, Alimentos e Bebidas Móveis", que se expandiu 4,6%.

Já os setores que registraram pior resultado foram os de "Combustíveis e Lubrificantes", com queda de 1,6%, e "Materiais de Construção", com recuo de 0,7%.

© Folhapress / Fernando Souza / AgifMovimentação nas ruas e comércio nos arredores do Mercado Popular do Saara, no centro do Rio de Janeiro, durante a pandemia da COVID-19, em 10 de julho de 2020.
Comércio no Brasil desacelera, mas cresce pelo 3º mês seguido, diz Serasa - Sputnik Brasil
Movimentação nas ruas e comércio nos arredores do Mercado Popular do Saara, no centro do Rio de Janeiro, durante a pandemia da COVID-19, em 10 de julho de 2020.

Os números publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam uma variação semelhante, com recuo do setor em 17% em abril, seguido de avanço de 14,4% em maio e 8% em junho.

A expectativa geral da economia continua sendo de queda ao final do ano devido ao impacto da pandemia do novo coronavírus. Segundo os dados do mais recente relatório de mercado Focus, do Banco Central, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve cair 5,46% em 2020.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала