Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Bolsonaro promete auxílio emergencial até final do ano entre R$ 200 e R$ 600

© © Marcos Corrêa/PR/Agência BrasilBolsonaro participa de lançamento de usina de energia em Caldas Novas, Goiás (foto de arquivo)
Bolsonaro participa de lançamento de usina de energia em Caldas Novas, Goiás (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga no
Em evento em Goiás neste sábado (29), o presidente Jair Bolsonaro disse que o auxílio emergencial será pago até o final do ano, provavelmente em um valor entre R$ 200 e R$ 600. 

O benefício, atualmente de R$ 600, começou a ser pago em 9 de abril para ajudar trabalhadores informais e desempregados durante a pandemia do novo coronavírus. Em março, o governo propôs um auxílio de R$ 200, mas a Câmara dos Deputados rejeitou a quantia e assumiu a discussão sobre o tema, indicando um benefício de R$ 500. Por fim, o governo sugeriu o valor atual, que acabou sendo aprovado no Congresso. 

Em Caldas Novas para inaugurar uma usina de energia, o presidente voltou a afirmar que o benefício será prorrogado até o final do ano, e disse que o auxílio é "pouco para quem recebe e muito para quem paga". 

"Sabemos da necessidade desses que recebem auxílio emergencial. É pouco para quem recebe e muito para quem paga. Vocês gastam R$ 50 bilhões nesse auxílio. Pretendemos, com um valor menor, não será R$ 600, mas não será R$ 200, prorrogá-lo até o final do ano", afirmou Bolsonaro, segundo o jornal O Globo.

Sem máscara, abraços e apertos de mão

Na cerimônia, o presidente ficou sem máscara em vários momentos, cumprimentou pessoas com a mão, deu abraços e tirou fotos, contrariando recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). 

O valor defendido pela equipe econômica para a manutenção do benefício é de R$ 200, soma que o presidente considera baixa. Por outro lado, especialistas afirmam que se um auxílio de R$ 600 for pago durante muito tempo, o país quebraria. Segundo o governo, atualmente 60,3 milhões de pessoas recebem a ajuda.

De acordo com pesquisas recentes, a aprovação de Bolsonaro subiu recentemente, o que seria explicado pelo alcance do benefício. Alguns estudos mostram que o pagamento ajudou a diminuir a desigualdade no país e aumentar a renda da população, apesar da crise da COVID-19. 

Segundo fontes do governo citadas pela mídia, o governo deverá fechar a prorrogação da ajuda em R$ 300. O valor e as regras sobre o pagamento deverão constar em Medida Provisória que será enviada ao Congresso. 

'Estamos fazendo o possível'

Em seu discurso na cidade goiana, Bolsonaro também defendeu as obras de infraestrutura que estão sendo feitas ou continuadas em seu governo, mas disse que o país tem "restrições orçamentárias sérias. 

"Estamos fazendo o possível com os poucos recursos públicos que temos. O Brasil é um país que deve muito. Gostaríamos de fazer muito mais, mas temos restrições orçamentárias bastante sérias", afirmou o presidente, segundo o jornal Folha de S.Paulo. 

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала