Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Rússia alerta EUA e UE sobre quaisquer intervenções na Bielorrússia

© REUTERS . Vasily FedosenkoManifestantes realizam protesto contra o resultado de eleições presidenciais, na capital da Bielorrússia, Minsk, 17 de agosto de 2020
Manifestantes realizam protesto contra o resultado de eleições presidenciais, na capital da Bielorrússia, Minsk, 17 de agosto de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga no
Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, declarou ao vice-secretário de Estado dos EUA, Steven Bigan, que formas de pressão contra a Bielorrússia são inaceitáveis.

De acordo com Lavrov, apesar da posição dos EUA perante a situação na Bielorrússia, os Estados Unidos declararam que não estão interessados no aumento das tensões no país europeu.

"Nós ouvimos a confirmação da posição dos EUA de que eles [americanos] não estão interessados na criação de uma crise artificial em torno da situação que se criou na Bielorrússia", declarou o chanceler russo Sergei Lavrov ao canal de TV Rossiya 1, conforme publicou a chancelaria russa.

Contudo, Lavrov ressaltou que "os bielorrussos são um povo sábio, eles mesmos podem determinar as formas como um diálogo nacional pode ser organizado e onde ele ajudará a superar as dificuldades surgidas agora".

O ministro também acentuou a posição de oposição da Rússia a quaisquer intervenções na Bielorrússia.

Em relação à organização da oposição bielorrussa, o chanceler russo afirmou sobre o Conselho de Coordenação, criado pela oposicionista bielorrussa e ex-candidata a presidente Svetlana Tikhanovskaya:

"Nós chamamos a atenção do vice-secretário de Estado dos EUA Steven Bigan para o fato de que dentro da Bielorrússia, incluindo os círculos oposicionistas, existem bastantes questões sobre a legitimidade da formação de tal Conselho de Coordenação."

Situação na Bielorrússia

Desde a votação na eleição presidencial de 9 de agosto, a Bielorrússia tem vivido protestos de oposicionistas insatisfeitos com a vitória do atual presidente Aleksandr Lukashenko.

Como resultado dos protestos, diversas pessoas foram detidas, enquanto a ex-candidata Tikhanovskaya demandava mudança de poder no país, mesmo com o resultado da eleição apontando a vitória de Lukashenko com mais de 80% dos votos.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала