Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Mais de mil abandonam suas casas devido a conflitos na fronteira colombo-venezuelana neste ano

© AFP 2021 / LUIS ROBAYOSoldado colombiano patrulha rua de Tumaco, Colômbia (foto de arquivo)
Soldado colombiano patrulha rua de Tumaco, Colômbia (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga no
Disputas entre grupos armados por território forçaram 1.019 pessoas a abandonar seus lares no estado venezuelano de Zulia e nas zonas rurais colombianas de Cúcuta e Tibú.

Só neste ano, a região fronteiriça registrou cinco massacres, sendo três deles no mês passado, tudo apontando para o agravamento da situação.

Entre os grupos combatentes figuram o grupo paramilitar colombiano Los Rastrojos e a guerrilha Exército de Libertação Nacional (ELN).

O último dos massacres foi denunciado pela Fundação Progresar, segundo a qual pelo menos quatro pessoas foram assassinadas em Cúcuta no contexto do conflito entre grupos armados.

Os dados também foram compilados pelo Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês) , informou o portal Infobae.

Entre os deslocados das municipalidades de Cúcuta e Tibú, figuram 325 venezuelanos e 82 membros da comunidade indígena Wayúu, de acordo com o OCHA.

Ainda segundo o OCHA, a situação também se agravou com a pandemia da COVID-19, a qual "implica riscos adicionais e dificuldades de acesso por parte das instituições estatais e de organizações humanitárias às comunidades, o que tem implicações na possibilidade de uma resposta integral e sustentável ante as necessidades da população afetada".

Tensões

A região fronteiriça entre a Colômbia e a Venezuela tem sido palco de desentendimentos entre os governos dos dois países.

Ainda no ano passado, o líder oposicionista venezuelano Juan Guaidó, com apoio da Colômbia e dos EUA, promoveu uma ação que tentava levar ajuda humanitária à Venezuela através da fronteira.

Além disso, fotos de Guaidó com membros do grupo Los Rastrojos ecoaram pela rede, enquanto o governo venezuelano acusou o mesmo de ter ligação com os paramilitares.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала