- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Sérgio Camargo diz que Black Lives Matter é um 'lixo', 'violento' e 'hipócrita'

© Folhapress / Bruno SantosAto Vidas Negras Importam em Cidade Tiradentes, zona leste de SP, em 4 de julho, pede fim do genocídio da população negra periférica, melhorias na saúde pública e explicações sobre seis jovens mortos por violência policial desde o início da pandemia
Ato Vidas Negras Importam em Cidade Tiradentes, zona leste de SP, em 4 de julho, pede fim do genocídio da população negra periférica, melhorias na saúde pública e explicações sobre seis jovens mortos por violência policial desde o início da pandemia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, disse que o grupo Black Lives Matter é um "lixo esquerdopata" e um dos movimentos "mais violentos e hipócritas já criados" pela esquerda. 

Por meio do Twitter, Camargo afirmou que o "saldo" do Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) era a "piora do racismo" nos Estados Unidos. Ele chamou o movimento de "lixo esquerdopata" e os integrantes do grupo de "pretos raivosos".

Depois, em outra publicação, ele retornou ao tema e disse que o Black Lives Matter praticava "covardes agressões" e era "um dos movimentos mais violentos e hipócritas já criados pela esquerda".

​Fundado em 2013, o grupo ganhou força após a morte do afro-americano George Floyd em Minneapolis, em 25 de maio, por um policial branco. O assassinato provocou uma onda de protestos antirrascistas nos Estados Unidos e em várias partes do mundo, inclusive no Brasil. 

Opositor do movimento negro

Sérgio Camargo é um crítico do movimento negro, a quem já chamou de "escória maldita". Ele também nega o papel histórico desempenhado pelo líder quilombola Zumbi dos Palmares, que dá nome a fundação que ele preside. 

Em tuíte fixado em seu perfil, Camargo diz que "negros são livres" e não precisam de "movimento", "esmola estatal" e "cota racial". No passado, afirmou que a escravidão tinha sido "benéfica" para os descendentes e que o Dia da Consciência Negra deveria ser abolido.

Jornalista, Sérgio Camargo foi nomeado para o cargo em novembro de 2019. Ele teve a nomeação suspensa pela Justiça por desvio de finalidade, mas retornou à presidência da Fundação Palmares em fevereiro de 2020, após liberação do Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Em  maio, o órgão voltou a recusar pedido de afastamento. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала