Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Após fraudes no currículo, militares deixam de apoiar novo ministro da Educação

© Foto / Fotos PúblicasO presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação Carlos Alberto Decotelli da Silva.
O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação Carlos Alberto Decotelli da Silva. - Sputnik Brasil
Nos siga no
O novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, não tem mais o apoio dos militares que integram o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

De acordo com o jornal O Globo, o apoio foi retirado após serem encontradas inconsistências nas informações do currículo de Decotelli.

O reitor da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina, onde o novo ministro afirma ter feito doutorado, afirmou que Decotelli cursou disciplinas na instituição, mas não é doutor porque sua tese foi reprovada. A Universidade de Wüppertal nega que Decotelli tenha feito pós-doutorado na instituição. Reportagem do UOL também indicou que o mestrado do novo ministro da Educação tem indícios de plágio. 

De acordo com O Globo, o ministro-chefe da Casa Civil, general Walter Braga Netto, e o secretário de Assuntos Estratégicos, almirante Flávio Rocha, estiveram entre os "principais fiadores" de Decotelli. A publicação afirma que o apoio ao ministro pode retornar caso exista uma "justificativa plausível" para as informações contraditórias do currículo.

Nomeado no dia 25 de junho para chefiar o Ministério da Educação após a saída de Abraham Weintraub, a posse de Decotelli estava prevista para a terça-feira, 30 de junho, mas foi adiada. Não há nova data.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала