EUA chamam de 'medida perigosa' possibilidade de México exportar gasolina à Venezuela

© AP Photo / Ariana CubillosVeículos fazem fila para abastecer na capital venezuelana, Caracas, que enfrenta escassez de gasolina, 29 de maio de 2020
Veículos fazem fila para abastecer na capital venezuelana, Caracas, que enfrenta escassez de gasolina, 29 de maio de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Um senador dos EUA publicou um tweet em que apela ao presidente do país, Andrés López Obrador, para continuar a manter Maduro isolado contra o que chamou de "destruição da Venezuela".

O senador norte-americano Rick Scott, do Partido Republicano, advertiu o presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador contra sua intenção de vender gasolina à Venezuela caso o governo de Nicolás Maduro o solicitar.

A decisão de Obrador de contornar as sanções para vender gás ao regime de Maduro é uma medida perigosa.

Para que a liberdade e a democracia reinem em nosso hemisfério, todos os países devem permanecer fortes no isolamento de Maduro, não lhe fornecendo ferramentas para continuar sua destruição da Venezuela.

Na segunda-feira (15), o governo de López Obrador afirmou sua abertura em vender gasolina a Caracas "por razões humanitárias", apesar das sanções impostas pelos EUA, clarificando que até o momento não tinha recebido um pedido formal por parte da Venezuela.

"Se fosse uma necessidade humanitária, nós o faríamos. Somos livres, o México é um país independente e soberano, tomamos nossas próprias decisões e não interferimos com as políticas de outros países. É a autodeterminação dos povos e a ajuda em questões humanitárias. Ninguém tem o direito de oprimir os outros, nenhuma hegemonia pode esmagar nenhum país", disse o líder mexicano.

Petróleo na Venezuela

O bloqueio econômico provocado pelas sanções impostas ao país sul-americano pelos EUA tem afetado o comércio venezuelano e impedido o país de exportar petróleo a fim de obter dinheiro "para importar medicamentos, tratamentos, alimentos e insumos para produzir", acusou o chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza.

Além disso, especialistas apontam fatores como a queda da produção petrolífera, sem a qual o hidrocarboneto não pode ser refinado, e a falta de investimento em refinarias nacionais para a escassez de gasolina no país.

Também por causa da escassez de demanda devido à pandemia mundial da COVID-19, o Irã começou a enviar petroleiros à Venezuela, transportando um total de 1,53 milhões de barris de gasolina e alquilato.

Depois disso, o governo Maduro anunciou um novo esquema de preços da gasolina que rompe com décadas de subsídio quase total da compra de combustíveis.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала