- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Rejeição ao governo Bolsonaro sobe de 39% para 44% em 15 dias, diz pesquisa

© REUTERS . Ueslei MarcelinoCoronavírus: presidente Jair Bolsonaro participa de ato em Brasília contra as medidas de isolamento social e que também teve slogans pedindo uma intervenção militar
Coronavírus: presidente Jair Bolsonaro participa de ato em Brasília contra as medidas de isolamento social e que também teve slogans pedindo uma intervenção militar - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A rejeição ao governo Bolsonaro subiu de 39% para 44% em 15 dias, apontou pesquisa realizada pelo DataPoder360. Ao mesmo tempo, base de apoio do presidente se manteve estável. 

Segundo a enquete, realizada entre os dias 25 e 27 de maio, 44% dos entrevistados acreditam que a gestão de Jair Bolsonaro é ruim ou péssima.

Para realizar a pesquisa, publicada neste sábado (30), o instituto entrevistou 2.500 pessoas por telefone, em 544 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Na pesquisa anterior, feita entre os dias 11 e 13 de maio, esse índice era de 39%. No levantamento de 11 e 13 de abril, a taxa de reprovação era de 33 pontos. Ou seja, em cerca de um mês e meio, subiu 11%. 

A pesquisa indicou ainda que 28% dos entrevistados consideram o governo ótimo ou bom. Na enquete anterior, o índice era de 30%. A diferença de dois pontos está dentro da margem de erro.

No levantamento de abril, porém, a taxa de aprovação era de 36%, à época maior do que a desaprovação. 

Grupo que considera governo regular encolhe

Além disso, 23% responderam que a administração Bolsonaro é regular. Na pesquisa anterior, o índice era de 27%. Em abril, o índice era de 28%.

As curvas indicam que o grupo que considera a gestão do governo regular está encolhendo, enquanto a rejeição a Bolsonaro aumenta e sua base permanece estabilizada. 

A enquete mostrou ainda que o auxílio emergencial pago pelo governo durante a crise do coronavírus, se não faz a aprovação de Bolsonaro aumentar, consegue frear um pouco sua rejeição. 

De acordo com a pesquisa, 28% dos entrevistados receberam o pacote de R$ 600. Outros 21% ainda aguardam o dinheiro.

Quando é levado em consideração apenas esse grupo, a rejeição do presidente é de 40%, contra 44% da média nacional. 

Maioria é contra o impeachment

A enquete apontou ainda que a maioria da população é contra o impeachment de Bolsonaro baseado na suposta interferência dele na Polícia Federal. 

A pesquisa indica que 47% acham que o presidente não deve ser destituído do cargo, índice que era de 52% na enquete anterior. 

Por outro lado, 36% são favoráveis ao impeachment, taxa que era de 34% no levantamento anterior.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала