Pesquisa sobre vacina revela adaptação 'quase perfeita' do coronavírus a humanos

© Sputnik / Maksim Bogodvid / Abrir o banco de imagensPreparação de injeção no âmbito dos estudos de vacina contra o novo coronavírus na Universidade Federal de Kazan, Rússia (imagem referencial)
Preparação de injeção no âmbito dos estudos de vacina contra o novo coronavírus na Universidade Federal de Kazan, Rússia (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Cientistas das Universidades Flinders e Latrobe da Austrália realizaram estudo sobre a eficácia com a qual o coronavírus pode infectar diferentes animais.

Em meio à pesquisa sobre uma vacina para o coronavírus, os especialistas envolvidos identificaram uma peculiar característica do vírus, revela o tabloide Daily Mail Australia.

O professor da Universidade Flinders, Nikolai Petrovsky, envolvido na pesquisa, afirmou que o vírus tem uma capacidade maior de se ligar a células humanas do que a de outros animais, explicando sua alta taxa de infecção.

O coronavírus se vincula à molécula receptora da enzima conversora da angiotensina 2 (ACE2, na sigla em inglês) nas células receptoras dos pulmões como um pico de proteína – quanto mais se fixar, menos provável é que desapareça, fazendo com que o quadro do paciente se agrave.

© AFP 2022 / RIJASOLOLaboratório examinando testes da COVID-19 (foto de arquivo)
Pesquisa sobre vacina revela adaptação 'quase perfeita' do coronavírus a humanos - Sputnik Brasil
Laboratório examinando testes da COVID-19 (foto de arquivo)

O professor esperava comprovar que animais como morcegos são mais suscetíveis ao vírus e, portanto, desvendando os hospedeiros intermediários – mas se chocou ao atestar que humanos estão no topo da lista dos mais suscetíveis. Além disso, vírus tendem a se aperfeiçoar em infectar novas espécies conforme se adaptam, porém, o coronavírus começou "completamente otimizada, dispensando a partir do primeiro dia a necessidade de evoluir".

"Este é um novo vírus que nunca existiu em humanos antes, mas possui uma extraordinária capacidade de se vincular a receptores humanos, o que é muito surpreendente", ressaltou Petrovsky ao tabloide Daily Mail Australia.

Segundo o especialista da Universidade Flinders, "ele [vírus] é quase perfeitamente adaptado para humanos, não podendo fazer melhor".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала