- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Witzel nega participação em crimes e diz que interferência de Bolsonaro está 'oficializada'

© Foto / Adriano Ishibashi/FramePhoto/FolhapressGovernador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, participa de uma coletiva de imprensa no Palácio Guanabara (foto de arquivo)
Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, participa de uma coletiva de imprensa no Palácio Guanabara (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Polícia Federal realizou nesta terça-feira (26) um mandado de busca e apreensão na residência do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, por suspeita de desvios verba em ações de combate à pandemia de COVID-19.

O governador negou qualquer tipo de participação em esquemas de fraude na área da saúde e acusou o presidente Jair Bolsonaro de interferir na Polícia Federal, que realizou doze mandados de busca e apreensão nesta manhã.

"Não há absolutamente nenhuma participação ou autoria minha em nenhum tipo de irregularidade nas questões que envolvem as denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal. Estranha-me e indigna-me sobremaneira o fato absolutamente claro de que deputados bolsonaristas tenham anunciado em redes sociais nos últimos dias uma operação da Polícia Federal direcionada a mim, o que demonstra limpidamente que houve vazamento, com a construção de uma narrativa que jamais se confirmará", afirmou Witzel.

"A interferência anunciada pelo presidente da república está devidamente oficializada". Estou à disposição da Justiça, meus sigilos abertos e estou tranquilo sobre o desdobramento dos fatos. Sigo em alinhamento com a Justiça para que se apure rapidamente os fatos. Não abandonarei meus princípios e muito menos o Estado do Rio de Janeiro", acrescentou o governador em nota, citada pelo G1.

Wilson Witzel tem sido alvo de ataques do presidente Jair Bolsonaro por conta das medidas de isolamento social adotadas durante a pandemia de coronavírus no Rio de Janeiro.

A ação da Polícia Federal faz parte da Operação Placebo, que investiga suspeitas de desvios ilegais ligados à construção de hospitais de campanha para o combate à COVID-19.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала