- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Conselho de Segurança dos EUA confirma envio de 1.000 ventiladores para o Brasil

© REUTERS / Evgenia NovozheninaCarregamento de ajuda médica dos Estados Unidos à Rússia, incluindo 50 ventiladores, em Moscou
Carregamento de ajuda médica dos Estados Unidos à Rússia, incluindo 50 ventiladores, em Moscou - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Conselho Nacional de Segurança dos EUA aplicou "restrições temporárias aos estrangeiros que viajam do Brasil para a proteção compartilhada do nosso povo da COVID-19" antes de anunciar envio de ajuda médica.

Washington fornecerá 1.000 ventiladores ao Brasil para ajudar o país, que recentemente se tornou o segundo país mais afetado em termos de número de casos do novo coronavírus, anunciou o Conselho Nacional de Segurança (NSC, na sigla em inglês) dos EUA no domingo (24).

A Administração está doando 1.000 ventiladores do povo americano para ajudar o Brasil em suas necessidades médicas. Os Estados Unidos reconhecem os fortes esforços do governo brasileiro e, em breve, nossa parceria em defesa e comércio será ainda mais fortalecida.

O anúncio veio logo após a emissão de uma nova proibição de entrada nos EUA, que impede estrangeiros que tenham estado no Brasil nos últimos 14 dias de viajar para os Estados Unidos.

O Brasil é um dos nossos parceiros mais fortes do mundo. [O presidente dos EUA] Donald Trump implementou restrições temporárias aos estrangeiros que viajam do Brasil, para a proteção compartilhada do nosso povo da COVID-19, semelhante às restrições atuais com outros países.

As novas restrições de viagem não se aplicarão ao comércio entre os dois países, disse no domingo (24) a porta-voz da Casa Branca, Kayleigh McEnany.

O número de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil vem aumentando rapidamente. O país já tem mais de 363.200 casos confirmados e 22.666 mortes, segundo os últimos dados do Ministério da Saúde divulgados no domingo (24).

Enquanto isso, os Estados Unidos registram o maior número de infecções (mais de 1,6 milhões) e o maior número de mortes pelo vírus (mais de 97.000), de acordo com a Universidade Johns Hopkings, EUA.

Na sexta-feira (22), Mike Ryan, diretor executivo do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), classificou a América do Sul como o novo epicentro da infecção pelo coronavírus, expressando preocupação específica com o Brasil.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала