Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Maduro agradece ao presidente do Irã envio de petroleiros: 'Não vamos nos ajoelhar'

© AP Photo / Marcos MorenoPetroleiro iraniano Grace 1
Petroleiro iraniano Grace 1 - Sputnik Brasil
Nos siga no
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, agradeceu neste domingo (24) ao presidente iraniano, Hassan Rouhani, o envio de cinco navios-tanque para a costa do país sul-americano. 

Das cinco embarcações previstas para chegar à Venezuela, o petroleiro Fortune foi o primeiro a atracar no país, no sábado (23) à noite. 

"Chegou à Venezuela no dia de ontem o barco Fortune, o primeiro de cinco barcos que trazem gasolina e insumos para fazer gasolina na Venezuela, como parte de um acordo integral, global, que temos com a República do Irã", disse Maduro em pronunciamento à nação. 

O chefe de Estado afirmou que o envio do combustível iraniano integra um acordo de cooperação de paz entre as duas nações. 

'Povos revolucionários'

"Somos dois povos pacifistas, o que queremos é nosso próprio desenvolvimento, dois povos rebeldes, dois povos revolucionários, que não vamos nos ajoelhar jamais ao imperialismo norte-americano", discursou. 

Além disso, Maduro argumentou que a Venezuela e o Irã têm direito ao livre comércio, tanto pelo ar como pelo mar. 

Nos próximos dias, os outros quatro petroleiros, chamados Clavel, Forest, Faxon e Petunia, devem chegar em águas venezuelanas.

O país sul-americano vive uma escassez de combustível, o que provoca grandes filas de veículos em postos de gasolina. 

Perseguição dos EUA

Em 14 de maio, o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, denunciou que as embarcações transportando gasolina estavam sendo perseguidas pelo governo dos Estados Unidos. 

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Zarif, afirmou que Teerã tomaria providências caso os EUA ameaçassem os petroleiros que se dirigem para a Venezuela. 

Em 3 de abril, o governo chavista anunciou um plano especial de distribuição de gasolina para garantir o abastecimento dos setores essenciais, que não estão sob a quarentena em vigor no país devido à pandemia da COVID-19. 

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала