China afirma que pretende ter taxa de desemprego de 5,5% nas cidades em 2020

© REUTERS / CARLOS GARCIA RAWLINSO presidente da China, Xi Jinping, e o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, chegam ao Congresso Nacional do Povo, em Pequim, no dia 22 de maio de 2020.
O presidente da China, Xi Jinping, e o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, chegam ao Congresso Nacional do Povo, em Pequim, no dia 22 de maio de 2020.  - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O desemprego nas cidades chinesas será de 5,5% este ano, e o governo criará nove milhões de novos empregos até o final do ano, disse o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, em relatório divulgado nesta sexta-feira (22).

"Especificamente, estabelecemos as seguintes metas: mais de nove milhões de novos empregos urbanos, uma taxa de desemprego urbano pesquisada em torno de 6% e uma taxa de desemprego urbano registrada em torno de 5,5%", afirma Li.

Em 2019, o desemprego na China foi de 3,62% e o governo criou 13 milhões de novos empregos.

Durante a abertura do Congresso Nacional do Povo, o premiê chinês anunciou que o país não irá divulgar uma meta de crescimento para o PIB em 2020. 

Com a crise global desencadeada pela pandemia de coronavírus, a economia chinesa recuou 6,8% no primeiro trimestre de 2020, na comparação com igual período de 2019. Foi o primeiro registro de queda do PIB chinês desde 1976. 

Também foi anunciado que Pequim pretende erradicar a pobreza em 2020. 

"Neste ano, devemos priorizar a estabilização do emprego e a garantia dos padrões de vida, vencer a batalha contra a pobreza e alcançar a meta de construir uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos", afirma relatório divulgado pela China. 
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала