Trump pondo fogo em todas as lembranças chinesas

© Sputnik / Vitaly PodvitskyTrump pondo fogo em todas as lembranças chinesas
Trump pondo fogo em todas as lembranças chinesas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçou interromper toda a relação sino-americana, e relembrou que a pandemia atual provou que ele estava certo em buscar a reestruturação das cadeias de suprimentos globais.

Em entrevista ao canal FOX Business, Trump disse que estava muito desapontado com o fracasso da China em conter a COVID-19, e que a pandemia havia deixado de lado seu acordo comercial de janeiro com Pequim, que ele já havia considerado uma grande conquista.

"Há muitas coisas que poderíamos fazer. Nós poderíamos fazer coisas. Poderíamos cortar toda a relação", ressaltou Trump, acrescentando que isso ajudaria os EUA a "economizar US$ 500 bilhões" (R$ 2,9 trilhões), referindo-se às importações anuais americanas provenientes da China.

O governo dos EUA está agora considerando maneiras de punir ou receber uma compensação financeira da China pelo fato de Pequim, segundo a Casa Branca, estar escondendo informações sobre o vírus.

Previamente, o chefe da Casa Branca em reunião com os governadores disse que poderia apoiar as sanções contra a China propostas pelo senador Lindsey Graham.

O Ministério das Relações Exteriores chinês emitiu um artigo refutando declarações das autoridades norte-americanas sobre o envolvimento do lado chinês na propagação do coronavírus.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала