Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Venezuela denuncia à ONU tentativa de incursão marítima 'organizada e financiada' por Colômbia e EUA

© REUTERS / Manaure QuinteroBarcos das forças de segurança venezuelanas
Barcos das forças de segurança venezuelanas - Sputnik Brasil
Nos siga no
Venezuela apresentou ante as Nações Unidas os planos militares organizados e financiados pelos governos da Colômbia e dos EUA.

O ministro das Relações Exteriores venezuelano, Jorge Arreaza, anunciou na quarta-feira (13) que a Venezuela denunciou ao secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e ao Conselho de Segurança "as contínuas ações intervencionistas" dos EUA contra a nação sul-americana.

O chanceler venezuelano se referia à incursão armada marítima "de grupos de mercenários que foram organizados, treinados e financiados pelos governos da Colômbia e dos EUA", ocorrida no dia 3 de maio na costa do estado de La Guaira.

​Venezuela denuncia ao Conselho de Segurança da ONU as reiteradas ações intervencionistas dos EUA. Desta vez, produto da incursão de grupos de mercenários que foram organizados, treinados e financiados pelos governos da Colômbia e dos EUA.

Por sua vez, o embaixador da Venezuela ante a ONU, Samuel Moncada, garantiu que a denúncia destaca o atentado ao presidente Nicolás Maduro e a outros altos funcionários do governo bolivariano.

Moncada enfatizou que a tentativa de incursão tinha como objetivo "destruir o sistema de direitos e liberdades da nossa nação independente e soberana, impondo um regime violento de pilhagem colonial nunca antes visto na nossa história", informa portal Telesurtv.

​Venezuela denuncia ao Conselho de Segurança e ao secretário-geral da ONU ataque armado terrorista apoiado por governos de [Donald] Trump e [Iván] Duque usando mercenários na Colômbia. Um crime de agressão contra os venezuelanos.

Na semana passada, Nicolás Maduro anunciou que mercenários faziam parte de uma tentativa de golpe contra o governo venezuelano, que foi ordenada pelo presidente dos EUA, Donald Trump, e executada pela Agência Antidrogas (DEA) dos EUA, com apoio do governo colombiano.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала