'Super-humanos': bióloga explica quem desenvolve imunidade ao coronavírus

© REUTERS / Alain JocardTestes de coronavírus sendo analisados em laboratório em Paris, na França, 11 de maio de 2020
Testes de coronavírus sendo analisados em laboratório em Paris, na França, 11 de maio de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A imunidade forte e duradoura é formada apenas em sete a oito por cento dos que sofreram de COVID-19, muitas vezes a imunidade mais estável é obtida por pacientes que tiveram um curso grave da doença, afirma especialista.

A explicação foi dada à Sputnik pela doutora em Ciências Biológicas e professora Ancha Baranova, da Escola de Biologia de Sistemas da Universidade George Mason (EUA).

Imunidade à COVID-19

"Temos pessoas que estiveram doentes, elas tiveram febre e tosse, mas não têm anticorpos para o coronavírus [esses pacientes são cerca de 7-8%]. Isso significa que elas se livraram da infecção com a ajuda de interferons [proteína produzida pelos leucócitos e fibroblastos] que são rapidamente produzidos no corpo humano em resposta ao vírus. Neste caso, os próprios interferons as trataram e não surgiram anticorpos, é por isso que esses doentes não têm imunidade à COVID-19", disse Baranova.

Segundo a bióloga, pessoas com uma grande quantidade de anticorpos e boa imunidade constituem o contrário desse grupo de pacientes. Esse grupo de pessoas também equivale a sete a oito por cento.

"Temos super-humanos que têm uma resposta imunitária tão poderosa que seus anticorpos podem ser usados para tratar outros pacientes com plasma convalescente, o que é feito", acrescentou Baranova.

A especialista observou que entre os dois grupos ficam os outros doentes que tiveram COVID-19. Eles desenvolvem imunidade ao coronavírus de força variável, mas pelo menos em 40% ela é bastante fraca. Em alguns pacientes, segundo Baranova, o nível de anticorpos, ou seja, de imunidade, cai acentuadamente em um mês, e é neste grupo de pacientes que surge o risco de reinfecção.

© REUTERS / Nick Oxford Médico com paciente que espera resultado de teste para a COVID-19, na cidade de Shawnee, no estado de Oklahoma, EUA, 23 de abril de 2020
'Super-humanos': bióloga explica quem desenvolve imunidade ao coronavírus - Sputnik Brasil
Médico com paciente que espera resultado de teste para a COVID-19, na cidade de Shawnee, no estado de Oklahoma, EUA, 23 de abril de 2020

"Tudo isso é uma consequência do simples fato de que as pessoas são diferentes e passam peça doença de maneira diferente. Os cientistas descobriram que as pessoas mais velhas que sofreram de COVID-19 de forma severa são quem tem uma imunidade mais forte", complementou.

Como especificado pela bióloga, essa informação sobre como e quem forma imunidade à COVID-19 foi obtida por cientistas chineses durante um exame de 171 pacientes. Os estudos foram liderados pelo professor Fum Wu no Centro Médico de Xangai e em várias outras instituições científicas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала