Pequim realiza exercícios no mar do Sul da China em meio a provocações dos EUA

© REUTERS / StringerPorta-aviões Liaoning da China com a frota que o acompanha durante simulação em uma área do mar do Sul da China (imagem de arquivo)
Porta-aviões Liaoning da China com a frota que o acompanha durante simulação em uma área do mar do Sul da China (imagem de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Pequim realiza exercícios no mar do Sul da China e se prepara para combater ações provocativas dos EUA através de medidas adequadas.

Durante os exercícios navais, as forças chinesas contaram com caças, porta-aviões, navios de guerra e aeronaves antissubmarino no mar do Sul da China, mostrando que o Exército de Libertação Popular da China está pronto para combater as provocações norte-americanas, segundo o Global Times.

Além dos exercícios, os aviões antissubmarino realizaram missões de patrulha na região, depois das ações "provocativas" da Marinha dos EUA na região.

© AFP 2022 / STR O Liaoning é o único porta-aviões da Marinha da China. Inicialmente, o navio foi construído para a União Soviética como porta-aviões Riga da classe Kuznetsov. Após a dissolução da União Soviética, o navio foi comprado pela China em 1998, reconstruído e entrou em serviço da Marinha do Exército de Libertação Popular da China sob o nome de Liaoning em 2012
Pequim realiza exercícios no mar do Sul da China em meio a provocações dos EUA - Sputnik Brasil
O Liaoning é o único porta-aviões da Marinha da China. Inicialmente, o navio foi construído para a União Soviética como porta-aviões Riga da classe Kuznetsov. Após a dissolução da União Soviética, o navio foi comprado pela China em 1998, reconstruído e entrou em serviço da Marinha do Exército de Libertação Popular da China sob o nome de Liaoning em 2012

O especialista militar Wei Dongxu afirmou ao Global Times que os EUA estão enviando aeronaves de reconhecimento à primeira cadeia de ilhas, para obter informações sobre a China.

Com isso, o gigante asiático resolveu aperfeiçoar suas capacidades e se preparar para enfrentar as ações provocativas dos EUA através de medidas adequadas para afastá-los ou lançar contramedidas eletrônicas para interrompê-los, cita o especialista.

Anteriormente, o porta-aviões USS Nimitz dos EUA foi atingido pela COVID-19, entretanto o porta-aviões norte-americano deixou seu porto e pode ser implantado no Pacífico, o que significa que os norte-americanos poderão contar com o porta-aviões para operação próxima à China, intensificando suas provocações e ameaçando a soberania chinesa.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала