Xi Jinping teria sido alertado sobre possível conflito militar com EUA

© AP Photo / Andy Wong, FilePresidente americano Donald Trump (à direita) e o presidente chinês Xi Jinping (à esquerda) durante encontro (foto de arquivo)
Presidente americano Donald Trump (à direita) e o presidente chinês Xi Jinping (à esquerda) durante encontro (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Ministério de Segurança do Estado da China teria enviado ao presidente Xi Jinping alertas sobre aumento do sentimento antichinês no mundo todo, o que poderia resultar em um conflito militar direto com EUA.

O relatório supostamente originado pelos Institutos de Relações Internacionais Contemporâneas da China, e entregue ao líder chinês, concluiu que o "sentimento hostil" em relação à China como resultado da pandemia de coronavírus havia atingido seu nível mais alto desde o incidente na Praça Tiananmen em 1989, informa a Reuters.

O pior caso do cenário informado pela Reuters, citando fontes, incluía a possibilidade de um intercâmbio militar entre os EUA e a China.

Além disso, o documento concluiu que os EUA consideram a ascensão econômica da China uma ameaça econômica e nacional à segurança, além de ser um desafio ao sistema político encapsulado pela democracia ocidental, cita a Reuters.

O relatório supostamente entregue a Xi revelou que os EUA estavam tentando minar o Partido Comunista, abalando a confiança da população sobre sua competência.

Recentemente, o governo Trump acusou Pequim de encobrir o surto inicial da contaminação, alterando o número de mortes e o número de casos confirmados, além de alegar que o coronavírus foi acidentalmente vazado de um laboratório em Wuhan.

Por sua vez, Pequim negou as acusações, argumentando que a confirmação do país está de acordo com a da Organização Mundial da Saúde (OMS), e que havia tempo suficiente para os norte-americanos se prepararem para enfrentar a crise.

O governo chinês também afirmou que as alegações do governo Trump são uma tentativa de desviar a culpa do fracasso da Casa Branca, já que os EUA atingiram o pico mundial da pandemia de coronavírus.

Apesar das acusações dos EUA de que o coronavírus tenha sido originado na cidade chinesa de Wuhan, nenhuma prova foi apresentada.

Na segunda-feira (4), a OMS observou que não recebeu nenhum dado ou evidência que comprove as acusações de Washington.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала