Defesa colombiana demite militares em meio a escândalo de espionagem

© REUTERS / Jaime SaldarriagaSoldados colombianos acampados perto do local do ataque das FARC contra tropas do exército, em Cauca (imagem referencial)
Soldados colombianos acampados perto do local do ataque das FARC contra tropas do exército, em Cauca (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Ministério da Defesa da Colômbia anunciou a demissão de 11 oficiais e a renúncia de um general relacionados a uma investigação sobre um possível esquema de espionagem realizado por membros do exército, informa a Reuters.

A Defesa colombiana não revelou as identidades dos oficiais demitidos nem do general, destacou a agência.

A Procuradoria-Geral abriu um inquérito em janeiro passado após a mídia local noticiar alegações de possíveis espionagens contra jornalistas, políticos, magistrados e outros militares. E, segundo o ministro Carlos Holmes Trujillo, citado pela Reuters, a decisão de liberar esses soldados de suas funções foi tomada com base nessas alegações e nas respectivas investigações. 

​Nesta sexta-feira (1º), a revista colombiana Semana divulgou uma reportagem com novos detalhes sobre esse escândalo no Exército Nacional da Colômbia. De acordo com a publicação, entre fevereiro e dezembro de 2019, militares do país teriam executado um amplo programa de espionagem, utilizando ferramentas informáticas para coletar informações sigilosas de mais de 130 pessoas, incluindo funcionários do governo do presidente Iván Duque.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала