Haftar assumirá poder na Líbia, declarando queda do acordo de unidade da ONU

© REUTERS / Exército Nacional Líbio/ HandoutKhalifa Haftar, líder militar do Exército Nacional Líbio (LNA) sediado no leste da Líbia, 27 de abril de 2020
Khalifa Haftar, líder militar do Exército Nacional Líbio (LNA) sediado no leste da Líbia, 27 de abril de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O marechal Khalifa Haftar declarou que suas forças assumirão o controle da Líbia, argumentando que o acordo de unidade negociado pela ONU está morto.

A declaração foi feita durante um discurso televisionado, no qual Haftar informou que a "vontade do povo" lhe deu um mandato para governar, anunciando que o seu Exército Nacional Líbio (LNA) assumirá o controle do país.

"O Comando Geral das Forças Armadas aceita a vontade do povo apesar do peso dessa confiança, da multiplicidade de obrigações e da magnitude das responsabilidades perante Deus, nosso povo, nossa consciência e história", disse.

As forças de Haftar já controlam a maior parte da Líbia, e passaram grande parte do último ano avançando contra Trípoli para derrubar o Governo do Acordo Nacional (GNA), criado em 2015 após as conversações mediadas pela ONU, na sequência da operação da OTAN liderada pelos EUA que depôs o governante líbio Muammar Gaddafi e jogou o país em anos de guerra civil.

Acordo de unidade

Durante o discurso, dirigindo-se aos "líbios livres", o general condenou o acordo de unidade que estabeleceu o GNA, insistindo que ele "destruiu" a Líbia, e que os cidadãos tinham escolhido outro líder "elegível".

"Seguimos sua resposta ao nosso chamado para anunciar a queda do Acordo Político, que destruiu o país e o levou ao abismo, e para autorizar aqueles que consideram elegíveis para liderar esta etapa", disse Haftar, acrescentando que o LNA trabalharia para criar "instituições duráveis do Estado civil".

Em resposta ao anúncio, a Embaixada dos EUA em Trípoli disse que Washington lamenta "a sugestão de Haftar de que mudanças na estrutura política da Líbia podem ser impostas por declaração unilateral", e instando o LNA a declarar um cessar-fogo durante o mês sagrado muçulmano do Ramadã, enquanto o país luta contra o surto de coronavírus.

Contando com o apoio da Turquia, o GNA conseguiu repelir as ofensivas de Haftar ao longo do último ano, inclusive ganhando terreno contra o LNA perto de Trípoli nas últimas semanas. No entanto, o governo de unidade pediu apoio a Washington, declarando em fevereiro que receberia tropas dos EUA em solo líbio para ajudar na luta contra o "terrorismo".

© REUTERS / Esam Omran Al-FetoriMilitante das forças líbias leais a Khalifa Haftar (foto de arquivo)
Haftar assumirá poder na Líbia, declarando queda do acordo de unidade da ONU - Sputnik Brasil
Militante das forças líbias leais a Khalifa Haftar (foto de arquivo)

A operação de mudança de regime da OTAN em 2011, que forçou Kadhafi a sair do poder e terminou em uma brutal execução à beira da estrada às mãos de rebeldes apoiados pelo Ocidente, transformou a Líbia em um Estado devastado pela guerra, promovendo quase uma década de conflito armado entre centros de poder concorrentes e a ascensão de grupos terroristas como o Daesh (proibido na Rússia e demais países), que floresceu em focos de anarquia criados em meio aos combates.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала