Com 40 mil mortes, governadores dos EUA dizem a Trump que é cedo para reabrir economia

© REUTERS / Tom BrennerPresidente dos EUA, Donald Trump e a embaixadora Debbie Birx, coordenadora da Casa Branca para resposta a COVID-19, em conferência de imprensa, 2 de abril de 2020
Presidente dos EUA, Donald Trump e a embaixadora Debbie Birx, coordenadora da Casa Branca para resposta a COVID-19, em conferência de imprensa, 2 de abril de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os governadores dos estados mais afetados pelo coronavírus entraram em conflito com o presidente Donald Trump por conta do plano da Casa Branca de reabrir a economia dos Estados Unidos. 

Enquanto isso, mais protestos são realizados contra o prolongamento das diretrizes de distanciamento social

Em Nova York, o número de hospitalizações caiu para 16 mil, ante 18 mil, e o número de pacientes mantidos vivos por respiradores também caiu. Houve 507 novas mortes, número abaixo do pico de 700 mortes em 24 horas. 

"Se os dados se mantiverem e se essa tendência persistir, estamos além do ponto alto e todas as indicações neste momento são de que estamos descendo", disse o governador Andrew Cuomo, que defendeu as medidas de isolamento social. 

Cuomo anunciou que Nova York irá testar dois mil pessoas por dia e 14 mil por semana, dentro da população de 19 milhões de pessoas do Estado, para acompanhar a evolução da COVID-19. 

Os Estados Unidos têm de longe o maior número confirmado de casos de coronavírus do mundo, com mais de 740 mil infecções e mais de 40 mil mortes.

Cuomo, juntamente com outros governadores, está pedindo mais testes para detectar novas infecções, bem como para acompanhar a imunidade da população. 

O governador republicano Larry Hogan, de Maryland, afirmou durante uma entrevista à CNN que as alegações de Trump de que os estados têm muitos testes eram "absolutamente falsas".

O governador democrata Ralph Northam, da Virgínia, disse à CNN que a ideia de que há testes suficientes é "ilusória".

Vários estados, incluindo Ohio, Texas e Flórida, disseram que pretendem reabrir partes de suas economias, talvez no primeiro dia de maio ou antes, informa a agência de notícias Reuters. Os governadores de Michigan e Ohio disseram que poderiam dobrar ou triplicar sua capacidade de testes se o governo federal os ajudasse a adquirir mais cotonetes e reagentes.

As diretrizes de Trump para reabrir a economia recomendam o registro de 14 dias seguidos de queda no números de casos confirmados antes de medidas graduais de retomada econômica. 

No entanto, o presidente republicano pareceu encorajar manifestantes que querem que as medidas sejam removidas mais cedo com uma série de postagens no Twitter na sexta-feira pedindo que "LIBEREM" Michigan, Minnesota e Virgínia. Todos os estados citados são dirigidos por governadores democratas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала