Putin propõe ao governo repassar dinheiro para empresas pagarem salários durante crise da COVID-19

© Sputnik / Vladimir FedorenkoPresidente da Rússia, Vladimir Putin, durante discurso no parlamento russo, em Moscou, 10 de março de 2020
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante discurso no parlamento russo, em Moscou, 10 de março de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Vladimir Putin propôs ajuda de 200 bilhões de rublos (cerca de R$ 17 bilhões) para manutenção dos orçamentos das regiões da Rússia em meio à pandemia.

Em pronunciamento em cadeia televisiva nacional de hoje (15), o presidente da Rússia, Vladimir Putin, propôs novas medidas de ajuda do governo diante a propagação da pandemia.

Entre os destinatários da ajuda estarão empresas cuja produção é fundamental ao país.

"Em relação às empresas fundamentais, peço ao governo que crie uma lista [com seus nomes], tendo por base critérios coerentes, claros e objetivos. Nesta lista deverão estar empresas de importância exclusiva para a economia nacional", declarou o presidente durante reunião com membros do governo russo.

Foi proposta igualmente uma redução de 6% nos juros de empréstimos concedidos às empresas fundamentais.

"Além disso, metade do empréstimo [a empresas fundamentais] terá como garante o Ministério das Finanças da Rússia, o que dará estímulos adicionais aos bancos na liberação de crédito e diminuirá os riscos ao sistema bancário", acrescentou.

Também foi estipulada ajuda do governo no pagamento de salários de funcionários de empresas de pequeno e médio porte a partir de 18 de maio.

Ajuda aos médicos

Também o presidente propôs a isenção de cobrança de impostos sobre renda aos médicos que estão envolvidos no combate ao coronavírus.

Anteriormente o presidente já havia anunciado ajuda aos funcionários da saúde do país.

"Eu anunciei os respectivos valores, 80 mil rublos [cerca de R$ 5.600] como pagamento adicional pelo trabalho com doentes do coronavírus aos agentes de saúde e médicos", acrescentou.

Direitos trabalhistas

Enquanto parte dos trabalhadores da Rússia exercem suas funções à distância, Putin pediu aos membros do governo, em particular ao ministro do Trabalho Anton Kotyakov, prestar maior atenção ao cumprimento dos direitos trabalhistas daqueles que passaram a trabalhar em casa.

"Eu peço que controlem com a maior atenção possível o cumprimento dos direitos trabalhistas daqueles que foram transferidos para o regime de trabalho à distância", afirmou.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала