À flor da pele: diferentes texturas provocam emoções distintas

© Foto / Pixabay / Pasja1000Pessoa segura flôr rosa (imagem referencial)
Pessoa segura flôr rosa (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Nova pesquisa russa descobre que, ao tocarmos em materiais diferentes, podemos sentir certas emoções. Os cientistas acreditam que o trabalho possa contribuir para o estudo do sistema emocional humano.

Em pesquisa divulgada na revista Consciousness and Cognition, cientistas russos da Universidade Estatal de Psicologia e Pedagogia de Moscou (UEPPM) e do Instituto Nacional de Pesquisa Escola Superior de Economia (HSE) revelam que tocar em objetos com diferentes texturas pode provocar determinadas emoções.

Por exemplo, o veludo e o pelo de animais são associados com a alegria, o mármore e o vidro – com a tristeza, uma escova metálica – com o medo e a raiva e a plasticina – com o nojo e a surpresa.

Os cientistas definiram um conjunto de texturas que poderão ser usadas no futuro para estudar a percepção das emoções através de contato físico.

"Nós usamos as respostas obtidas no nosso questionário online para escolher 21 texturas que os participantes da pesquisa associavam com maior frequência a certas emoções. Elas incluem o vidro, a madeira, a seda, a lixa, a plasticina, o mármore e outras", conta a docente sênior do Centro de Psicologia Experimental da UEPPM Olga Korolkova.

Ela diz que da pesquisa principal participaram 108 pessoas. Os participantes deviam tocar em diferentes texturas com os olhos tapados, avaliando em uma escala de 0 a 5 o nível de associação com as seis emoções básicas: alegria, medo, raiva, surpresa, tristeza e nojo.

Os pesquisadores conseguiram revelar que o nível individual de alexitimia (quando uma pessoa tem dificuldade em descrever com palavras o que está sentindo) é ligado à intensidade das seguintes emoções: raiva, tristeza e nojo.

"Mostramos que as particularidades individuais de percepção das suas próprias emoções podem ser relacionadas à intensidade das emoções negativas associadas às texturas", diz Korolkova.

Os cientistas observam que antes a psicologia só costumava pesquisar o nível de agrado ou desagrado provocado pelos diferentes materiais ao serem tocados. Ainda não havia uma pesquisa concreta que permitisse diferenciar as emoções que surgem ao tocar uma textura.

Agora, os cientistas planejam determinar que propriedades dos materiais explicam a associação às categorias de emoções: rigidez e suavidade, nível de lisura e flexibilidade, etc. Também planeja-se descobrir se a percepção é afetada pela associação dos materiais com os objetos típicos que costumam ser feitos deles.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала