Porta-aviões pode comprovar controle da Marinha chinesa sobre coronavírus

© AP Photo / Kin CheungPorta-aviões Liaoning perto do porto de Hong Kong, China (foto do arquivo)
Porta-aviões Liaoning perto do porto de Hong Kong, China (foto do arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Marinha chinesa mostrou que desempenhou um trabalho superior ao da Marinha norte-americana ao controlar o coronavírus, conforme publicação do Exército de Libertação Popular chinês.

Como evidência dessa ascensão, recentemente, um grupo naval chinês partiu rumo ao Pacífico. O grupo, formado por dois destróieres de mísseis guiados, duas fragatas e um navio auxiliar, foi liderado pelo porta-aviões Liaoning, conforme a PLA.

A operação teria sido conduzida quando quatro porta-aviões da Marinha norte-americana relataram casos de coronavírus, restringindo suas operações, ressaltaram analistas chineses, que destacaram o sucesso da Marinha chinesa no combate à COVID-19.

Pelo menos quatro avançados navios de guerra dos EUA já relataram casos da COVID-19. Um navio ancorado em Guam, tendo recentemente visitado o mar do Sul da China, o USS Theodore Roosevelt, registrou cerca de 416 casos até a manhã de quinta-feira (9), depois de 286 casos terem sido relatados pela Marinha.

Em sua operação, o porta-aviões chinês Liaoning demonstrou o sucesso do Exército de Libertação Popular da China no trabalho de prevenção e controle da COVID-19, já que a pandemia não conseguiu impactar suas operações, destacou Xu Guangyu, consultor sênior da Agência de Controle e Desarmamento de Armas da China.

"Isso mostrou que o Exército de Libertação Popular é capaz de enviar tropas posicionadas em qualquer parte e a qualquer momento, com as tropas sempre mantendo suas capacidades vigorosas de combate. O povo chinês sempre pode contar com eles", afirmou Xu.

Atualmente, a China está relatando mais casos importados da doença, tendo após 76 dias cancelado o bloqueio a Wuhan, o epicentro original do coronavírus.

Na quarta-feira (8), moradores e visitantes saudáveis foram autorizados a deixar a capital da província de Hubei, com a retomada dos trens e voos e a reabertura das rodovias, já que o país caminha agora para aliviar as restrições impostas para conter a COVID-19.

Enquanto isso, os EUA relatam 466.299 casos de infecção, com 16.686 mortes e 26.522 recuperações.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала