Mais de 30 países desejam comprar ventiladores russos para tratar COVID-19

© REUTERS / Stephane MaheVentilador respiratório junto a paciente infectado por coronavírus no hospital de Vannes, França, 20 de março de 2020
Ventilador respiratório junto a paciente infectado por coronavírus no hospital de Vannes, França, 20 de março de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Mais de 30 países estão interessados em adquirir ventiladores e outros equipamentos médicos russos para pacientes infectados pelo coronavírus.

Oleg Bocharov, vice-ministro da Indústria e Comércio da Rússia, afirma que o país tenciona exportar estes equipamentos.

"Queremos aproveitar esta situação para entrar no mercado internacional. Acreditamos ter tudo o necessário para concentrar nossas capacidades, tanto em ventiladores como em outros equipamentos médicos complexos, e desenvolver um programa especial antes de finalizar o ano".

O funcionário acrescentou que o "Ministério da Indústria e Comércio e outras entidades, como o Ministério do Desenvolvimento Econômico ou [a agência de controle técnico e metrologia] Rosstandart estão dispostos a dar uma mão".

Segundo a autoridade russa, ao todo "mais de 30 países solicitaram nestes dias que a Rússia forneça tais produtos". Enquanto isso, o primeiro-ministro russo Mikhail Mishustin, disse em março que o país "tem suficientes ventiladores e sua quantidade poderá aumentar, se for necessário".

Produção de equipamentos médicos

Bocharov assegurou que as empresas russas aumentarão em 30 vezes a produção de equipamentos médicos até o mês de julho deste ano.

"O governo da Rússia está disposto a apoiar todas as empresas. As empresas estão aumentando a produção de equipamentos médicos [...] planejamos incrementar a produção oito vezes em abril, 25 vezes em maio e 30 em junho", salientou Bocharov em um reunião sobre equipamentos médicos na Planta Óptica e Mecânica dos Urais, em Ekaterinburgo.

Globalmente, foram confirmados mais de 1,6 milhão de casos de infecção pelo vírus responsável pela COVID-19, segundo a Universidade Johns Hopkins (EUA).

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала