China irá fornecer mais de 80 milhões de máscaras à Rússia

© REUTERS / Aly SongMáscaras em linha de produção na cidade de Xangai, na China, 31 de janeiro de 2020
Máscaras em linha de produção na cidade de Xangai, na China, 31 de janeiro de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em meio à relatos de competição acirrada entre países por equipamentos médicos chineses, Moscou e Pequim selaram acordo para fornecimento à Rússia de roupas protetoras e máscaras de uso médico para combater o coronavírus.

Neste sábado (4), o vice-ministro da Indústria e Comércio da Rússia, Aleksei Gruzdev, informou que Moscou e Pequim fizeram um acordo para fornecimento de equipamentos de proteção chineses à Rússia.

"A Rússia chegou a um novo acordo com a China para o fornecimento de 1,05 milhão de roupas protetoras de modelo Tyvek e 80 milhões de máscaras para uso médico", disse Gruzdev.

O acordo foi divulgado em meio a relatos da mídia de que países europeus e os EUA estão em competição acirrada pelo acesso a equipamentos de proteção individual produzidos na China.

No dia 2 de abril, a China já havia enviado à Rússia um carregamento de 26 toneladas, constituído por termômetros, respiradores, roupas protetoras e outros equipamentos de proteção individual, em forma de ajuda humanitária, conforme informou o Ministério da Indústria e Comércio russo.

© Sputnik / Yevgeny OdinokovRussas na beira do rio Amur olham para a cidade chinesa de Heihe, na outra margem do rio (foto de arquivo)
China irá fornecer mais de 80 milhões de máscaras à Rússia - Sputnik Brasil
Russas na beira do rio Amur olham para a cidade chinesa de Heihe, na outra margem do rio (foto de arquivo)

Em fevereiro, a Rússia remeteu ajuda humanitária similar à China (dois milhões de máscaras médicas), quando o país asiático era considerado o epicentro da epidemia de COVID-19.

Até a manhã deste domingo (5), a Rússia confirmou 4.731 casos de COVID-19 e 43 vítimas fatais. A maioria dos casos está concentrado na capital russa, Moscou. O governo anuncia ter realizado 639 mil testes para o novo coronavírus no país.

China luta contra '2ª onda'

Neste domingo (5), a China anunciou 30 novos casos de COVID-19 nas últimas 24 horas, 25 importados. No dia anterior, 19 novos casos haviam sido confirmados.

Desde quarta-feira (1º), a Comissão Nacional de Saúde da China passou a informar o número de casos assintomáticos de COVID-19 no país. Nas últimas 24 horas, 47 casos assintomáticos foram registrados, 16 deles importados.

De acordo com a Comissão, a China registrou mais de 81 mil casos do novo coronavírus e 3.329 vítimas fatais. 76.764 pacientes já foram curados.

© AP Photo / Ng Han GuanMulher vende máscaras na cidade de Wuhan, na província de Hubei, na China, em 3 de abril de 2020
China irá fornecer mais de 80 milhões de máscaras à Rússia - Sputnik Brasil
Mulher vende máscaras na cidade de Wuhan, na província de Hubei, na China, em 3 de abril de 2020

De acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA), a China é o 6º país com maior número de casos atualmente. A Rússia encontra-se na 22ª posição e o Brasil na 16ª.

O número total de casos de COVID-19 no mundo ultrapassa 1 milhão e 200 mil. Mais de 64 mil pessoas faleceram em consequência do vírus. Os países com maior número de casos são os EUA, Espanha e Itália.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала