Guaidó defende formação de governo de emergência sustentado por empréstimos

© AP Photo / Andrea Hernandez BriceñoJuan Guaidó, líder da oposição venezuelana (foto de arquivo)
Juan Guaidó, líder da oposição venezuelana (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, defendeu neste sábado a formação de um governo de emergência nacional, sustentado por empréstimos internacionais, para lidar com a crise da COVID-19 na Venezuela.

Em vídeo divulgado em seu perfil no Twitter, o político, autodeclarado presidente interino do país, apresentou um plano que, segundo ele, poderá salvar milhões de venezuelanos, com medidas urgentes para conter a propagação do novo coronavírus. 

​Para colocar tal plano em ação, de acordo com Guaidó, seria necessário descartar a liderança do chefe de Estado de fato, Nicolás Maduro, a quem ele acusa de usurpação e com o qual seria impossível encontrar soluções para o país e a família. 

"Planejo instalar um governo de emergência nacional, que, por razões óbvias, não pode ser encabeçado por Maduro. Que inclua todos os setores políticos e delegará ao Conselho de Estado paritário as decisões fundamentais de emergência, estabilidade e reconciliação", disse ele.

Entre as medidas emergenciais a serem adotadas por esse governo, ele cita a entrada de suprimentos médicos, ajuda aos setores mais vulneráveis e água para hospitais, entre outros. Tudo isso, explica, seria possível graças a recursos de organizações financeiras internacionais, que estariam dispostas a liberar US$ 1,2 bilhão para a nova administração.

"Esta não é uma questão política, mas humanitária. Para evitar milhares de mortes, precisamos de financiamento internacional, que ninguém dará a Nicolás Maduro, desconhecido no mundo e acusado judicialmente por acusações de tráfico de drogas e terrorismo internacional."

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала