Governador da Lombardia agradece à Rússia pela ajuda e chama discordantes de 'chacais'

© Sputnik / Ministério da Defesa da RússiaComboio de equipamentos especiais com especialistas militares do Ministério da Defesa russo antes da partida da base aérea italiana de Pratica di Mare para a cidade de Bergamo para ajudar a combater a propagação da infecção pelo coronavírus (imagem referencial)
Comboio de equipamentos especiais com especialistas militares do Ministério da Defesa russo antes da partida da base aérea italiana de Pratica di Mare para a cidade de Bergamo para ajudar a combater a propagação da infecção pelo coronavírus (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O governador da Lombardia, a província mais afetada pelo coronavírus na Itália, agradece aos "amigos russos" e critica duramente aqueles que se opuseram à ajuda prestada pela Rússia à sua região.

Perante a controvérsia em torno da ajuda médica e sanitária enviada pela Rússia à Itália, que segundo alguns colocaria esta última em uma posição de dependência de Moscou, Attilio Fontana, o governador da região italiana mais atingida pela epidemia de COVID-19, expressou sua gratidão aos "amigos russos", em declarações à Sputnik Itália.

"É uma pergunta política à qual respondo rapidamente. Como disse o famoso poeta Dante: 'Não vamos falar deles, mas olhar e passar'. É uma controvérsia política para a qual não ligo", afirmou Fontana.

"Digo obrigado aos nossos amigos russos que nos enviaram médicos, obrigado por nos enviarem outros homens que podem ajudar com a desinfecção. Se há alguém que se oponha a isso, não passa de um chacal", disse o governador da Lombardia.

Por sua vez, Fabrizio Sala, vice-governador da Lombardia, agradeceu "ao governo russo por esta assistência. É um apoio importante e concreto para lutar contra este inimigo invisível que só pode ser derrotado se todos permanecermos unidos", disse ele ao portal Askanews.

Ajuda russa

O grupo de especialistas russos enviado para socorrer a cidade de Bergamo, a mais afetada, é composto por 104 pessoas, entre médicos, enfermeiros e técnicos sanitários. A equipe irá trabalhar no hospital de campanha a ser montado na Feira de Bergamo.

O comboio de veículos, formado por 22 caminhões e vários ônibus com virologistas e médicos militares russos, chegou na noite de 26 de março a Bergamo.

Vale igualmente recordar que entre 22 e 25 de março, 15 aviões russos transportaram para a Itália cerca de uma centena de virologistas e oito equipes de médicos experientes no controlo de infecções, bem como uma grande quantidade de equipamento médico.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала