Mídia: Trump aprovou planos da Arábia Saudita para tirar Rússia dos mercados petrolíferos

© Sputnik / Yevgeny Biyatov / Abrir o banco de imagensTrabalhador da RN-Purneftegaz, uma empresa filhiada da Rosneft, na estação de compressão de gás Kharampur, na península russa de Yamal (foto referencial)
Trabalhador da RN-Purneftegaz, uma empresa filhiada da Rosneft, na estação de compressão de gás Kharampur, na península russa de Yamal (foto referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente dos EUA, Donald Trump, apoiou os planos da Arábia Saudita de afastar a Rússia dos mercados petrolíferos, aumentando a produção de combustível, informou mídia.

Segundo o jornal Politico, citando um ex-funcionário da administração norte-americana, Trump aprovou os planos de Riad, mas, ao mesmo tempo, pediu para evitar uma queda muito brusca nos preços do petróleo para proteger os produtores de combustível nos EUA.

No entanto, a mídia citou que a queda de preços em duas semanas após a conversa de Trump com príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman acabou por ser tão severa que a Casa Branca foi pega de surpresa.

"Ninguém pensou que fosse cair tanto", informou a fonte.

Anteriormente, o Wall Street Journal relatou que funcionários do Departamento de Energia dos EUA persuadiram a administração Trump a estabelecer uma aliança com a Arábia Saudita para regular os preços do petróleo.

A publicação explica que era esperado que essa decisão evitasse a queda grave dos preços do petróleo e pode também enfraquecer a parceria da Arábia Saudita com a Rússia.

© Sputnik / Viktor Filatov / Abrir o banco de imagensExtração de petróleo em Krasnodar, Rússia
Mídia: Trump aprovou planos da Arábia Saudita para tirar Rússia dos mercados petrolíferos - Sputnik Brasil
Extração de petróleo em Krasnodar, Rússia

Previamente, Trump disse que os EUA vão intervir "no momento certo", enquanto tentam encontrar um "meio termo" entre benefício dos preços baixos e proteção da indústria petrolífera norte-americana.

Comentando sobre o líder americano, o porta-voz presidencial russo Dmitry Peskov declarou que o Kremlin entende a razão das declarações dos EUA, já que muitas empresas sofrem com os preços baixos e os produtores de xisto americanos estão em perigo.

Colapso das cotações do petróleo

No início de março, os líderes da OPEP+ não chegaram a uma negociação sobre a alteração dos parâmetros do acordo de redução da produção petrolífera ou sobre a sua extensão.

A Arábia Saudita insistiu em cortes adicionais na produção, que não foram satisfatórios para Rússia, que se ofereceu para manter as condições atuais.

Como resultado, a partir de 1º de abril, as países da OPEP+ não terão nenhuma obrigação entre si. Os sauditas anunciaram que iriam aumentar a produção, baixar os preços e oferecer aos compradores europeus grandes volumes com desconto, e isso causou o colapso das cotações do petróleo nos mercados mundiais que, desde o início do ano, mas do que dobraram.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала