Região italiana da Lombardia pede ajuda a Cuba no combate à COVID-19

© REUTERS . Flavio Lo ScalzoEquipe médica usa máscaras de proteção facial em hospital italiano, 13 de março de 2020
Equipe médica usa máscaras de proteção facial em hospital italiano, 13 de março de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A região no norte da Itália tem sido a mais afetada no país, registando cerca de metade de todos os casos de coronavírus, e irá utilizar o antiviral cubano usado com sucesso na China.

O governo da região Lombardia, Itália, solicitou formalmente a Cuba pessoal especializado no tratamento de doenças transmissíveis para ajudar a aliviar a crise causada pelo novo coronavírus, confirmou a embaixada do país insular em Roma.

"É meu dever confirmar que, de fato, recebemos uma carta do senhor [Giulio] Gallera [conselheiro de Saúde e Bem-Estar da Região Lombardia], formalizando o pedido de ter pessoal cubano especializado no tratamento de doenças transmissíveis", afirma o comunicado assinado pelo embaixador cubano na Itália, José Carlos Rodríguez, escreve o portal Entorno Inteligente.

O diplomata confirmou que esta carta "foi devidamente transferida pela embaixada de Cuba na Itália às autoridades cubanas competentes, com as quais estamos em contato para este fim".

O comunicado da embaixada de Cuba em Roma acrescenta que, nos últimos dias, tanto a Associação Nacional de Amizade Itália-Cuba como a Coordenação Nacional dos Cubanos Residentes na Itália tornaram públicos seus apelos às autoridades italianas para que considerem a possibilidade de pedir ajuda a Cuba.

O pedido inclui pessoal médico, e a utilização do antiviral cubano Interferon Alpha 2 B, que tem sido utilizado com sucesso contra a COVID-19 na China.

O embaixador cubano na Itália também lamentou a alta morbidade e mortalidade que a COVID-19 está causando na Itália.

Disseminação do coronavírus

Além da Itália, as autoridades sanitárias cubanas receberam pedidos de assistência de vários países do Caribe para enfrentar o novo coronavírus, incluindo os governos de São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, e Jamaica, aonde já chegaram 21 enfermeiras cubanas especializadas.

De acordo com os mais recentes dados, os casos de COVID-19 na Itália totalizam 24.747, incluindo 1.809 mortes. Lombardia tem sido a região mais afetada do país, registando 13.272 dos casos e 1.218 mortes.

Na sexta-feira (13), a China enviou ajuda à Itália, que tem sido a maior vítima do novo coronavírus no mundo fora da China.

No domingo (15), o Ministério da Saúde do Brasil declarou que vai convocar médicos cubanos para trabalhar na pandemia do novo coronavírus, segundo o diário Globo. Trata-se dos médicos cubanos que foram mandados embora do Brasil do programa Mais Médicos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала